Cyberfunk

O Cyberpunk é um sub-gênero de ficção científica futurista onde elementos de alta tecnologia e distopia social se misturam para criar um clima geralmente "noir". Dois de meus escritores favoritos, Philip K. Dick e William Gibson, são grandes nomes do gênero, quiçá os maiores.

O termo virou praticamente uma sub-cultura, pelo menos para aqueles que já perceberam que estamos vivendo neste mundo futurista distópico previsto por escritores entre 30 e 50 anos atrás. Sim, as coisas podem ser diferentes de como eles visualizaram, mas as mensagens e indícios são fartos. Eu sempre disse que o futuro da humanidade pode ser visto através do prisma das palavras de grandes escritores de ficção: com Jules Verne nós ousamos sonhar. Com Isaac Asimov nós começamos a construir ideias. Mas se a visão do Philip K. Dick se concretizar, estamos bem ferrados.

E é neste mundo de hoje onde vemos os tais "hackers" dos anos 80 crescerem e "viralizarem" graças aos avanços tecnológicos que permitem que muitas famílias tenham computadores em casa. Quem cresceu lendo essas histórias, vendo os filmes e criando ídolos na cabeça, é apaixonado pelo gênero Cyberpunk. Inclusive se "define" como "Cyberpunk". Querem ser revolucionários, querem lutar apenas com seu intelecto e conhecimento contra um sistema. Mostrar que o homem comum tem poder.

Infelizmente muitos estão agora sendo integrados à distopia. Era de se imaginar que eventualmente os rebeldes "Cyberpunks" se venderiam, virariam casaca. Passariam a trabalhar a favor do establishment, não contra. Na verdade foi muito fácil integrá-los, hoje em dia basta mencionar as palavras "empreendedorismo" que eles babam, sonhando em virar o novo Bill Gates, Steve Jobs ou Mark Zuckerberg.

Por isso eu chamo estes hoje de "CyberFUNK". A palavra "funk", no inglês americano, denomina um estado depressivo, triste. Em inglês britânico, é algo como "covarde". O consenso é que ela pode ser usada para denominar uma pessoa que foge da realidade se deprimindo ou por medo (o que é até engraçado por ter virado o nome de um gênero musical tão alegre e divertido).

Por isso que eu digo: estes CYBERFUNKS são covardes, são pessoas que não querem enxergar que tem nas mãos o poder de construir algo realmente bom, mas acabam recaindo no individualismo e egoísmo. Se vendem fácil e não tem ética sólida.

Aposto que quem estiver lendo isso aqui conhece muitos assim.
Postar um comentário