17.9.15

Eu sou escritor

Eu sou escritor.

Tenho visto muitas pessoas, amigos e amigas, clamando títulos recentemente. Atletas, dançarinos, lutadores, músicos, poetas, que o valha. Cada um tem sua especialidade, tem sua própria paixão. Isto me fez refletir sobre quem eu sou, o quê me define essencialmente. A resposta é que eu sou escritor.

Nunca fiz segredo que amo a música e sempre me envolvi profundamente com ela. Talvez seja uma herança indireta do meu bisavô que era músico, compositor e tinha amigos próximos ilustres como o Noel Rosa e o Lamartine Babo, entre outros. Mas eu sempre cantei, sempre gostei de cantar e é algo com o qual tenho certa facilidade. Sou tenor com alcance C3-C6. Uma coisa que tenho certeza - não sou cantor.

Vejo amigos e amigas que treinam, estudam, se dedicam e são realmente, genuinamente, cantores profissionais. Assim como arranho um pouco de violão e guitarra, também vejo muita gente boa por aí com muito mais talento nas seis cordas que eu. Isso por que não sou guitarrista.

Pensei se seria então um jogador, sempre gostei de um "certamen". Adoro jogos de tabuleiro, jogo Magic: The Gathering há vinte anos e sempre tive uma grande paixão pelo universo rico e criativo de possibilidades infinitas que é o RPG, com o qual tenho contato ávido há vinte e dois anos. Apesar de ter realizado este ano o "sonho" de virar juiz certificado de Magic, não, eu não sou um jogador. Este papel reservo para aqueles que realmente treinam, se dedicam, estudam cada aspecto do jogo competitivo e as melhores técnicas para sobrepujar seus oponentes.

Apenas os mais loucos poderiam imaginar que eu sou um atleta. Nunca fui bom em qualquer tipo de esporte, até batia um pouco de bola no vôlei e basquete, mas sempre tive um profundo terror de jogar handbol e o futebol é uma paixão apenas no nível teórico - sempre disse que entre eu e o futebol existe um abismo de separação. Dizer que sou ruim de bola é bondade, ou como outro dia um amigo reforçou, nem pra jogar no pior time da última divisão do futebol escocês eu sirvo (olha que um dia posso acabar sendo alvo dos olheiros do Montrose F.C., hein). Atleta é quem treina, se dedica, aplica-se ao rigor de dietas e sofrimentos diversos, levando seu corpo a punições que são recompensas.

Refletindo sobre isso tudo, percebi que a minha "coisa" são as palavras mesmo. Escrever não é fácil, não é algo que nasce contigo. Exige treinamento regular, sempre lendo e sempre aplicando tudo o que é novo e também antigo. Você tem que ser capaz de envolver cada palavra e cada frase com um veludo de intenções e promessas, de modo que o leitor queira, ou melhor, precise continuar. Querendo mais. Temendo que acabe.

Escrever é algo que você aprimora conforme cresce e envelhece. Sua experiência te acompanha e acaba se traduzindo em palavras, em técnicas novas. Além de tudo, escrever é uma das formas de arte mais sublimes, através da qual os sonhos e fantasias mais loucos e impossíveis podem se tornar realidade. Tudo depende da forma como você ordena as letras, palavras, frases e parágrafos. É algo como uma forma de Mágica, através da qual a sua força de vontade é capaz de moldar a realidade.

E se você leu este artigo até o fim, tem o meu agradecimento mais sincero. O alimento do escritor são os seus olhos e a impressão que este deixa na sua mente.

Espero que você tenha gostado. Pois acho que eu gosto de ser quem eu sou.

Nenhum comentário: