14.2.12

8 na fila e bola pra frente

Estava pensando hoje se estou realmente reconstruindo uma comunidade. Não, não é essa a palavra certa, na verdade é uma platéia. É claro que eu gosto de audiência. Todo mundo quer sentir o mínimo de importância e para isso hoje em dia temos números. Dos meus outrora 50 seguidores aqui no blog, não creio que um quinto realmente lesse o que escrevo, mas ainda assim, o número é reconfortante.

800 amigos no Facebook. 140 seguidores no Twitter. 420 amigos no Orkut. 50 seguidores no Blogger. 150 no Google Plus. UAU. Isso deve significar muita coisa, olha a quantidade de gente que presta atenção no que eu falo, em quem eu sou.

Não, isso não é verdade.

Há alguns meses atrás coloquei uma foto no Facebook uma foto da minha toalha molhada, pendurada após o banho e que parecia uma imagem do E.T. do Spielberg (é bom especificar, hoje em dia nosso imaginário tem mais alienígenas do que somos normalmente capazes de lidar). Não lembra? Não viu? Confira aqui:

Legal né? O próximo padre que achar uma imagem da virgem
Maria numa torrada vai ter que repensar seus conceitos.

29 pessoas curtiram isso, em Junho de 2011. Várias pessoas comentaram. Destas 29 que realmente clicaram num botão para expressar seu contentamento com a imagem sacra do E.T., apenas uma eu não conheço pessoalmente (mas acredito que pode ser realmente uma boa pessoa, pois é amiga de outra que o é com certeza). 5 dias depois ninguém mais comentou, ninguém mais lembrava da foto, da piada.

Nossas piadas, nossos humores hoje em dia são tão rápidos e descartáveis quanto um clique no mouse. Eu vejo, eu gosto, eu curto, eu compartilho e ponto final. Pode ser que encontre novamente este pedaço de informação, solto na web, numa linha temporal do Facebook, num tweet despretensioso ou numa comunidade do Orkut (há alguns que ainda tem estômago para aquele troço). Por quê não receber um e-mail, estilo corrente e com a ameaça veemente de que se você não compartilhar a imagem do E.T. para 10 amigos dentro de 15 minutos, 150 raios laser cairão dos céus na sua cabeça?

Temos a tendência a nos apegar a estes números e à qualidade que eles trazem para nossas vidas como se fossem a coisa mais importante do mundo. Todos se interessam pelo que eu escrevo, veja, 5 já curtiram a nova imagem antiga que compartilhei. O blog, falem bem ou mal, é uma ferramenta para tornar mais estático o volátil e merda, eu gostei da piada do E.T. - não podia deixá-la morrer no mar de informações e estatística do Facebook.

Vamos lá gente, estou aguardando ofertas. 8 seguidores, quem dá mais?

Um comentário:

Bart Rabelo disse...

E agora, 8 de verdade - sem contar meu próprio cadastro, tinha esquecido deste. :P