Nerds


Nesta época de Copa do Mundo é muito comum começar a ouvir as pessoas reclamando. De tudo. Não digo que eu não goste de futebol, da bagunça de cores e nações que um evento desta magnitude abriga. Eu adoro futebol, sempre gostei do esporte - porém existe uma diferença abissal entre gostar de algo e ser bom naquilo.

Tá, quem me conhece sabe que sou nerd. Curto Star Wars desde criança, jogo RPG com frequência há mais de dezesseis anos, ouço músicas consideradas anti-convencionais para a maioria das pessoas. Entretanto sempre tive uma vida socialmente bastante ativa, da qual sempre gostei muito.

Tudo bem que eu tive uma adolescência marcada por constantes conflitos na escola, que era composta por 95,00% de gente completamente babaca e escrota (a estatística é bastante precisa, pois dentre os 400 alunos da minha série, apenas salvavam-se cerca de 20). Aliás, esta maioria avassaladora que estudou comigo continua do mesmo jeito hoje em dia - medíocre e desprovida de visão.

Não digo que eu não seja medíocre ou míope, mas pelo menos tento não ser. Jogo RPG aos Domingos, vejo jogos de futebol e me empolgo com eles, bebo cerveja com meus amigos, ouço metal, faço pizza em casa porque acho mais legal do que comer na rua, coloco minhas idéias no "papel", não me envergonho do fato de que meu gosto musical está regredindo cada vez mais para os anos 60, toco numa banda de rock e tenho uma linda esposa que me apóia e me acompanha nestas empreitadas e quaisquer outras maluquices da vida.

O "desmotivador" acima tem toda a razão. Nós, nerds, às vezes acertamos sim.
Postar um comentário