30.1.10

Reeducação da Atitude Global (parte III)

Hoje vou terminar a série de postagens sobre Reeducação da Atitude Global e o tema é bastante óbvio pela imagem ao lado: tempo.

Outro dia estava conversando com algumas pessoas no trabalho e o assunto "tempo" acabou surgindo. "Eu não tenho tempo para isso", ou "meu tempo é bastante contado" foram frases muito usadas para falar não de assunto profissional, mas para protelar nossas metas pessoais e vida privada. Então eu fiz uma conta por alto e voltando para casa com a ajuda do meu iPod, coloquei no "papel" (aplicativo Notes, na verdade) para me assustar:

Eu só tenho cinquenta horas por semana para cuidar da minha vida.

Por isso entenda-se: excluídas horas de sono, tempo para higiene pessoal, alimentação, trabalho e trânsito para o mesmo. Se eu não fizer hora extra e dormir seis horas por dia de semana e oito horas aos sábados e domingos, sobram-me apenas cinquenta horas por semana para cuidar da minha vida, me divertir com minha família e amigos, escrever, ouvir música, estudar, tocar guitarra, transar, qualquer coisa. A dramaticidade da coisa toma um contorno diferente depois que você lembra que uma semana tem apenas 168 horas. Menos de um terço disto é apenas meu. Então fica aprendida a lição:

OPTIMIZE SEU TEMPO

Eu já tinha tomado algumas decisões mas agora tenho embasamento empírico para alterar meus hábitos - o tempo está passando, não estou ficando mais novo e tudo é desperdiçado. Internet? Jogos eletrônicos? Televisão? Tudo é irrelevante e pode ser reduzido ao mínimo aceitável. Vou usar meu tempo para estudar mais, aprender mais, cuidar da minha saúde, ganhar mais qualidade de vida com a minha esposa. Recomendo para todos.

3 comentários:

Clara Edwiges disse...

Assino embaixo xD

Joba disse...

cara... eu não vivo se não dormir 8 horas por dia!
pois, bem nessa. Falando em tempo para os amigos, vou viajar no carnaval, mas lembrei que não nos vimos ainda este ano! Assim que voltar chamo vcs pra vir aqui em casa. Estou com saudades! Beijos pra ti e pra Clara.

Wendy disse...

Eu penso muito nisso tambem... É isso aí, Bart!