2015 foi mesmo um ano ruim?

Tenho visto nos últimos dias muita gente reclamar sobre como 2015 foi um ano ruim. Outro agradecem, dizendo que foi um ano ótimo. Enquanto em certos aspectos da minha vida 2015 foi um ano péssimo, em outros eu cresci e aprendi muito (não vou entrar em detalhes, pois não gosto de falar de certos detalhes da minha vida privada na internet e absolutamente não falo nada sobre a minha empresa, além de informar quando temos alguma vaga em aberto).

Requiém para o Chico

Era uma segunda-feira, 21 de Maio de 2012. A Clara estava fora de casa, mas já havia me avisado de tudo o que aconteceu durante o dia - sobre o filhote de gato que estava sendo agredido por bêbados na rua, sobre como nossa concunhada o salvou, que depois elas o levaram para o veterinário e que o bichinho estava muito malnutrido.

A importância de pensar antes de escrever

Este blog aqui só existe desde Março de 2005, mas na verdade iniciei minha "vida" como blogueiro em Setembro de 2002 (chupa, Constantino!). Quando migrei o blog do blogger para uma hospedagem paga, não consegui fazer o upload do conteúdo antigo, ao contrário de quando voltei para o blogger. Ontem fiz uma pequena atualização aqui no layout e acabei achando os arquivos antigos. Este foi o primeiro post que escrevi:

Fera na TV Japonesa

Ludwig van Beethoven certa vez disse: "A música é a entrada incorpórea para um mundo de conhecimento que compreende a humanidade, mas o qual a humanidade não é capaz de compreender."

Um Pequeno Gesto

Há alguns dias atrás parei na porta do super-mercado, esperando sua abertura, às sete horas da manhã. Uma senhora de idade avançada se aproximou, pedindo dinheiro para tomar um café. Revirei meus bolsos e carteira, não tinha nada - estava esperando o mercado abrir justamente para sacar dinheiro e comprar materiais de limpeza para a faxineira. Achei setenta centavos no bolso, pedi desculpas pois não tinha mais dinheiro do que aquilo e dei para ela. A senhora deu as costas para mim e jogou as moedas no chão. Eu fui lá e catei tudo, falando para um rapaz que presenciou a cena que a próxima pessoa que me pedisse dinheiro, ganharia mais.

Eu sou escritor

Eu sou escritor.

Tenho visto muitas pessoas, amigos e amigas, clamando títulos recentemente. Atletas, dançarinos, lutadores, músicos, poetas, que o valha. Cada um tem sua especialidade, tem sua própria paixão. Isto me fez refletir sobre quem eu sou, o quê me define essencialmente. A resposta é que eu sou escritor.

O Fera está virando um superstar?!

Então... Há dois anos atrás eu postei no YouTube um vídeo do Fera, mostrando a forma como eu o ensinei a pedir carinho. As imagens mostram mais do que palavras:

Guia de Sobrevivência pós-episódio de Game of Thrones


Chegou "aquele" dia no qual todo mundo vem falar contigo, ansioso para compartilhar o que assistiu no último episódio de Game of Thrones. E aí vem spoilers. A maioria sem querer, muitos de propósito. O episódio de ontem (S05E09, 07/06/2015) eu ainda não assisti, mas isso não importa: daqui a pouco começa o papo e uma coisa leva à outra. Como lidar com isso especialmente num ambiente de trabalho?

A Teoria da Direita Margarina

 

Eu vou falar rapidamente sobre o Rodrigo Constantino. O blogueiro que foi promovido a ícone intelectual (sic) da direita brasileira pra mim é um tabu; sempre me recusei a falar sobre ele, pois assim acredito estar dando audiência gratuita para o cara. Entretanto um evento recente chamou minha atenção: fiquei sabendo que ele se mudou para Miami. E isto muda completamente a "nossa" dinâmica. Por isso preciso desabafar sobre um tópico importante.

A Vida na Floresta

Texto e arte originais do Grant Snider, do Incidental Comics. Sugiro a leitura do site dele e talvez uma visita em sua loja.

O tipo de coisa que nos faz refletir.


Le Voleur des Mobiles

Normalmente eu me orgulho de viajar mantendo um "perfil discreto", o que me ajuda a evitar confusões e problemas. Ontem, no aeroporto em Paris, eu estava indo muito bem neste sentido: saí em tempo recorde do avião, saquei dinheiro, peguei minha mala em segundos. Tudo estava funcionando muito bem. Até que comprei um chip SIM temporário para meu celular.

Quanto riso, oh, quanta alegria

Como o carnaval já terminou oficialmente (passamos de meio-dia da quarta-feira de cinzas), já posso anunciar oficialmente: foi o primeiro carnaval em anos no qual não fui às redes sociais reclamar de nada. Acho que ninguém deve ter percebido. Também, não é algo tão relevante para ninguém além de mim mesmo. Faz parte do meu processo de ser mais tolerante com terceiros e com o mundo ao meu redor.