27.12.14

Resenha: These Final Hours

O quê eu poderia dizer sobre um filme que foi um fracasso de bilheteria, que não ganhou nenhum prêmio relevante, está cheio de atores pouco conhecidos e abusa de um clichê hollywoodiano batidíssimo, apesar de ser uma produção australiana?

"These Final Hours" é um thriller que parte do seguinte pressuposto: um meteoro cai na Terra e dentro de algumas horas uma onda de destruição cauterizante cobrirá todo o planeta, eliminando toda a vida na superfície num evento de extinção de larga escala e aniquiliando completamente todos os seres humanos. Sim, é mais um filme sobre o fim do mundo.

Este filme sobre o fim do mundo começa com o personagem principal, James (Nathan Phillips) fazendo amor pela última vez com sua amante, Zoe (Jessica De Gouw), antes de ir para uma grande festa onde todos estarão chapados e doidões, aguardando a inevitável morte. No meio do caminho ele encontra uma menina, Rose (Angourie Rice), separada do pai. Neste momento começa uma jornada de tempo limitado que só poderá culminar num único final.


O mais interessante deste filme é como ele consegue não ser apenas mais uma história sobre um fim catastrófico e escaldante para o mundo, mas sim uma profunda reflexão sobre humanidade e moralidade. Sobre quando confrontados com o fim da nossa existência, nós podemos facilmente descambar para o hedonismo e aspectos sombrios da natureza humana. Entretanto tudo tem um outro lado, sempre.


Quando terminei de ver o filme, caiu um silêncio profundo em mim. Um silêncio causado pela inexorabilidade do destino. Um silêncio formado pela reflexão de que a nossa existência pode ser encerrada a qualquer momento, sem aviso e sem alarde. Um silêncio que nos faz refletir sobre as nossas escolhas.

Não me interessa se o filme não foi premiado, se foi mal nas bilheterias, se nem sequer foi lançado no Brasil e se tem como premissa principal um clichê. A reflexão sobre o silêncio não é algo que tenha valor. Recomendo este filme para todos.

29.11.14

Um adeus gigante para Roberto Bolaños


É linda a comoção causada pelo falecimento do ator Roberto Gómez Bolaños, imortalizado por toda a América Latina graças a seus personagens Chaves e Chapolin. Ele era uma personalidade amada e admirada por milhões. Lembro da minha primeira viagem a trabalho para o Equador, pouco mais de 9 anos atrás, quando ao conversar com o povo da empresa no almoço, todos os olhos brilhavam ao lembrar do programa do comediante mexicano. Meu amigo Rafael Puebla​​ disse: "o 'Chaves' é uma história linda, uma bela lição para as crianças."

O programa foi amplamente televisionado a partir de meados da década de 70 em sua língua original. Aqui no Brasil só chegou no início dos anos 80 com o SBT do Silvio Santos. O sucesso no nosso país foi tão inesperado que lembro de uma entrevista do Roberto Bolaños na qual ele disse que levou muitos anos para lançar produtos no Brasil, pois não imaginava que o program seria tão popular aqui.

Imagino todos os nossos irmãos e irmãs do resto da América Latina que tiveram o privilégio de assistir os programas do "Chespirito" logo na década de 70, "em primeira mão". É uma geração que teve toda a sua infância e adolescência num período muito difícil da história recente e hoje está na casa dos 40 para 50 anos. A "nossa" geração que começou a se encantar com a beleza e simplicidade da comédia do Roberto Bolaños tem entre 30 e 40 anos. Eu me enquadro nesta categoria, com meus atuais 36 anos. Mas não paramos aí - o humor proposto pelo lendário e agora saudoso ator e escritor mexicano é imortal. Até hoje é possível ver crianças gargalhando e se divertindo com as piadas e chavões clássicos que tanto nos divertiram desde o início dos anos 70.

Roberto Gómez Bolaños foi um homem muito importante, não duvidem disso. Ele ajudou a trazer sorrisos e humor para mais de uma geração de latino americanos que realmente precisavam disto e assim ajudou a formar o caráter de milhões com lindas lições de amor, companheirismo e solidariedade. Pois no fim das contas, todos sabemos, o Chaves ganhou seu sanduíche de presunto e todos os amigos da vila cantaram juntos ao redor da fogueira em Acapulco.

24.11.14

Monstros

Hoje vou contar um conto que poucos conhecem, ou pelo menos eu não consigo lembrar quem já ouviu. É a história real de como eu não virei um estuprador.

Eu tenho a convicção pessoal de que todo ser humano tem um monstro dentro de si. O meu é um monstro de raiva e cólera - do tipo que você segura por muito tempo, mantém enjaulado e quando ele se solta, é um caos completo. Quem já me viu perdendo o temperamento sabe do que estou falando - eu costumo chamar meu monstro de "Raiva Vermelha". Entretanto, a partir do momento no qual você conhece suas falhas, aprende a domá-las: eu nunca reagi com violência contra uma pessoa mais fraca, indefesa, uma criança, mulher ou idoso.

Na verdade até hoje só reagi de forma violenta contra violência, uma tentativa de assalto ou agressão vinda de terceiros. Então eu me seguro bastante e assim nunca me tornei um homem intrinsicamente violento. Mas a Raiva Vermelha está lá dentro, esperando para ter seus limites testados. Pedindo para sair. Pedindo para alguém dar o primeiro soco, o primeiro empurrão.

Acho que eu estava no terceiro período da faculdade. Uma caloura tinha bebido demais ao longo do dia (cortesia dos barzinhos no entorno da universidade) e foi para o centro acadêmico deitar no sofá e descansar. Eu estava lá também descansando, pois tinha aulas de manhã e de noite, então fazia mais sentido ficar na faculdade o dia inteiro. Era final da tarde.

Os dois amigos da menina que a trouxeram perguntaram se eu tinha a chave da porta do centro acadêmico e eu disse que não. Então eles propuseram: encostar a porta pra poder "brincar" com ela. Achei que tinha ouvido errado e pedi confirmação. Era aquilo mesmo. Então mandei os dois saírem imediatamente, o que levou um deles a sugerir que "eu não ia me divertir sozinho".

E aí veio a Raiva Vermelha.

O pessoal que trabalhava na xerox ao lado veio ver o que estava acontecendo e sinceramente não lembro direito. Só sei que estava agarrando um dos caras pela camisa quando separaram a gente. Eles saíram de fininho. Pedi pro pessoal vigiar a garota e comprei uma lata de refrigerante pra ela dar uma "glicosada". Quando a menina ficou menos grogue, expliquei o que aconteceu. Ela usou um telefone público (nem todo mundo tinha celular naquela época), desceu pelos elevadores e foi embora.

Encontrei com a garota mais uma série de vezes nos corredores da faculdade. Ela não parecia querer falar sobre o assunto e nunca mais voltou ao centro acadêmico, assim como os agressores dela, os quais eu sempre recebia com um olhar frio. Hoje sei que deveria ter gritado mais, feito um escarcéu, denunciado aqueles dois vermes de alguma forma.

A melhor forma de evitar um crime é impedir que ele aconteça. O estupro e outras formas de violência contra a mulher só continuam ocorrendo pois existem homens que querem cometê-los. O culpado é o agressor, sempre. O que eu fiz naquela tarde horrível, da qual pouco me lembro, foi impedir um crime em andamento. E admito que não falo sobre o assunto pois infelizmente terei que sempre viver com a culpa por não ter de alguma forma denunciado ou punido aqueles dois rapazes com monstros bem mais perigosos que o meu.

6.11.14

Retrovisor

O espelho retrovisor é uma coisa engraçada. Literalmente não posso falar com muita propriedade pois não sei dirigir, mas os conceitos básicos são simples: ele é (1) um espelho que serve para você (2) olhar para trás enquanto dirige, sem necessariamente (3) parar de olhar para a frente.

A internet está repleta de espelhos retrovisores. Redes sociais defuntas como o orkut, fotos antigas de círculos de amizade há muito dispersos, parentes e pessoas queridas que se foram. E cada vez que você olha no retrovisor, pode pensar: "nossa como eu era mais magro(a)", "essas rugas não existiam", "eu só fazia merda antigamente" ou "por quê as coisas não deram certo entre a gente?"

Pessoas mudam. Ganham sabedoria, tolerância ou o contrário. Envelhecem e morrem. Vai acontecer comigo e com todo mundo. O meu conselho para quem ler isto aqui é: parem de usar seus retrovisores para apenas olhar pro passado. Usem eles para encarar o futuro de frente, mas com plena consciência daquilo que já passou.

O que já passou pode ser doloroso, mas o real perigo está sempre à frente.

24.10.14

Doleur

Começa nos olhos,
depois vem o resto.
No pele. No corpo.
No peito. Um sopro.

Pura afinidade,
ou superficial.
O querer. Desejo.
No início. Um final.

Que nem sempre acaba,
por vezes se estende.
Nos olhos. No corpo.
Na alma. Em sonhos.


21.10.14

Como se livrar de vícios

Alguns vícios são muito curiosos. Eu nunca usei nada que possa ser considerado ilícito no Brasil, nunca fumei, bebo mas não sou alcóolatra. Consigo viver sem a cerveja. Já passei semanas, até meses sem beber nada e sem nenhum motivo para isto. Talvez seja o melhor sinal de que sou uma pessoa sem vícios?

Errado. Até hoje eu me coço quando penso em refrigerante. Quando ouço o som da latinha sendo aberto, o borbulhar no copo com gelo, o cheiro, tudo. Dá água na boca, desperta um desejo irracional, uma sede que nem um litro de água seria capaz de saciar.

Há 3 anos atrás, em Outubro de 2011, fiz alguns exames e minha glicose bateu 250 mg/dl. É, tipo isso. Considerando meu histórico familiar, digamos que eu estava bem encaminhado para algo chamado "diabete". Então tive que tomar medidas bastante drásticas. Após algumas semanas de procrastinação, em Dezembro de 2011, parei de beber refrigerantes.

"Ohhh, grandes coisas" você pode dizer. O problema é que eu era viciado naquilo, não existe outro termo - afinal de contas, eu estava bebendo quase 2 litros de refrigerante por dia.

"UAU!" É, "uau" mesmo. E foi assim, parei do dia pra noite. Mantive durante quase um ano uma latinha de Coca-Cola na minha geladeira, como um lembrete constante do perigo da reincidência. O resultado? Seis meses depois fiz mais um exame e minha glicose baixou para 100 mg/dl. Isso sem mudar absolutamente nada na minha dieta, bastou cortar o refrigerante.

Em pouco mais de um mês celebrarei 3 anos sem beber refrigerante. É um marco pessoal e uma grande vitória, a qual gosto de compartilhar com todos meus amigos e amigas. Agora estou compartilhando com "a internet". Desde então me sinto mais saudável e nunca mais tive problemas com meu nível de glicose.

Agora vou compartilhar outro vício que pretendo pelo menos manter sob controle. O primeiro passo para me livrar dele foi remover o aplicativo do Facebook do meu celular.

O resto já se pode imaginar.

7.10.14

6 Parafilias que te deixarão com muito medo

O sufixo "-filia" vem do grego "philia", que significa "amizade, afeição, amor." Entretanto, hoje em dia é usado com muita frequência para denotar alguma fixação não saudável. Vou falar um pouco sobre as "parafilias" (interesses sexuais atípicos) que acho mais divertidas, bizarras ou medonhas:



FETICHE POR BALÕES

Derivado da Inflatofilia (desejo por infláveis ou pelo ato de inflar), o fetiche por balões é quando uma pessoa se sente sexualmente atraída pela forma inflada de balões. Literalmente, os adeptos desta prática gostam de se esfregar e masturbar com balões das mais diversas formas e tamanhos disponíveis - e se você fizer direitinho, quem sabe eles não estouram todos ao mesmo tempo.






COULROFILIA

É o tesão sexual em palhaços e/ou se vestir de palhaço. Alguns dizem que é por causa da maquiagem, outros pelo senso de humor. Outros pela oportunidade de ser completamente ridículo sem que ninguém te julgue. Eu já vi programas relatando orgias completas de pessoas vestidas de palhaços, onde o clímax da festa é quando todos começam a sentar no bolo. E claro, comer depois.






AUTOZOOFILIA

Zoofilia é muito bizarro, ponto. A autozoofilia é diferente: é se sentir atraído pela SUA própria imagem, vestido de animal. Os adeptos deste fetiche não curtem animais, ou outras pessoas vestidas de animais (como uma mulher vestida de gatinha, ou de ornitorrinco sexy). Se você for na Disneylândia e esbarrar num ator vestido de Mickey ou Pateta, não acredite se ele disser que aquele volume no bolso dele era um celular.





OCULOLINCTUS

Define-se como o tesão sexual por lamber globos oculares. Pois é, lamber com a língua. Creio que os adeptos tenham várias práticas diferentes, como o "olho fechado", a "semi-aberto" e até a selvagem "pálpebra aberta". Oftalmologistas desaconselham com força esta prática - "Ah doutor, estou com uma dor estranha no olho direito hoje. Minha namorada pegou pesado comigo ontem, ela estava muito safadinha."





TOXOFILIA

Uma flechinha não dói? Toxofilia é o tesão sexual por arco-e-flecha. Quem tem este tipo de fixação deve se excitar com um filme do Robin Hood, achar o Legolas a criatura mais linda do universo, ou se masturbar vendo a Jennifer Lawrence nos "Jogos Vorazes" (ehr, acho que tem muita gente que já faz isso). A preliminar "Guilherme Tell" ("vou acertar uma flecha nesta maçã que está na sua cabeça") leva a orgasmos múltiplos.





MASCALAGNIA

Poucas coisas podem ser tão estranhas. Mascalagnia é o desejo sexual por... Axilas. De todas as coisas estranhas e bizarras que já vi em toda a minha vida, poucas superam sequer imaginar que alguém possa ter tesão por um suvaco. Imagino que os adeptos da mascalagnia devam ser bem cuidadosos na escolha do tipo de desodorante que usam. Além disso, cada pessoa tem o direito de preferir uma axila depiladinha ou peludona bem hippie.




25.9.14

O Direito Errado

Tarde da noite, você está com seu carro numa rua deserta e de repente vê de um lado andando um advogado, e do outro lado da rua, o Hitler. Qual dos dois você atropela primeiro? O advogado, claro. Pois primeiro vem a obrigação, depois a diversão.

Já me perguntaram algumas vezes por quê digo regularmente (e normalmente em tom de piada) que eu "não gosto de advogados". Isto com frequência é associado ao fato de eu ter largado a faculdade de direito da UERJ (algo do qual não me arrependo nem um pouco).

Bem, não é verdade.

Para começar, o simples fato de eu não gostar de uma área profissional não a desqualifica. Isso seria idiota. Além disso, tenho muitos amigos e amigas que são excelentes advogados(a) e juristas, que trabalham nas mais diversas esferas privadas e públicas. Inclusive tenho um respeito enorme pelas pessoas que se dedicam aos aspectos mais altruístas do nosso ordenamento jurídico. São pessoas com princípios e ética. E a lista é grande.

As pessoas das quais não gosto são aquelas que se revestem de uma arrogância obscura, que realmente acreditam que o conhecimento jurídico as capacita automaticamente a serem profundas conhecedoras da natureza humana e das engrenagens que movem a nossa sociedade. Não, não é suficiente. Elas são apenas uma parte da máquina e não se contentam com isto. E acabam por um dia virar gente que diz "você sabe com quem está falando?"

Nunca vou esquecer do dia no qual o brilhante prof. Celso Mello, falecido em 2005, disse numa aula em tom jocoso: "meus filhos, não cometam o mesmo erro que eu - larguem o direito enquanto há tempo. Existem profissões mais nobres." Para quem não sabe, o Celso Mello foi a maior autoridade em direito internacional público que este país já teve.

O que era piada para a maioria, foi um chamado para mim. Ele estava certo - o quê diabos eu estava fazendo ali, naquela sala de aula, tirando o lugar de alguém que realmente poderia aproveitá-lo melhor? Não existiam coisas na vida, no universo e tudo mais nas quais eu poderia ser melhor e ter genuína satisfação?

Eventualmente larguei a faculdade e deixei tudo aquilo para trás, sem um pingo de arrependimento.

Sejam felizes. Sejam gentis. Contem piadas, como o Celso Mello. Riam. Não sejam gente que diz "você sabe com quem está falando?" Dediquem-se a entender o mundo, não a presumir que ele está nas palmas das suas mãos.

E assim eu gostarei de vocês, mesmo que sejam advogados.

1.9.14

The Fappening

"FAP" já virou gíria na internet e até fora da mesma. O termo foi inadvertidamente cunhado pelo autor da épica tirinha "Sexy Losers", que parou de ser publicada há alguns anos e tratava de sexualidade e tabu. Toda vez que algum personagem masculino se masturbava, surgiu no desenho a onomatopéia "FAP", normalmente seguida de vários ("FAP FAP FAP FAP FAP"), uma forma que o autor encontrou para representar o som da masturbação. Eventualmente o "FAP" ganhou a internet, virou verbo ("to Fap, Fapping") e já tem até neologismo no português brasileiro ("FAPAR", "FAPEAR", "FAPÁVEL", etc). Hoje muitos não tem uma pasta de fotos e vídeos pornô mais - tem uma "FAP Folder". Acho que deu pra entender o conceito.

"The Fappening" é uma mistura óbvia de "FAP" com "Happening" (do inglês "acontecimento, evento relevante, ou algo que está acontecendo). O que aconteceu é que ontem, 31/08/2014, um phreaker conseguiu hackear a iCloud da Apple. Sim amantes dos iPhones, iPads e iTudos, seus dados e arquivos pessoais podem ter sido expostos amplamente. O cara chegou a admitir num fórum online que estava vendendo o acesso às fotos - e ainda teve a cara de pau de dizer que estava puto por que outras pessoas começaram a vender as fotos também, que ninguém teve respeito pelo trabalho duro dele.

As fotos em questão são registros íntimos de atrizes como Kaley Cuoco, Kirsten Dunst, Kate Upton e para o delírio geral da internet, Jennifer Lawrence. Aparentemente esta última é que deixou todos fissurados e gerou a onda devastadora de masturbação em massa da qual o "The Fappening" tomou o nome.

É difícil começar a explicar a gravidade do assunto. Creio que todos já deveriam ter percebido o quão frágil é a segurança de dados na internet. Não são apenas as fotos. São nomes completos, dados bancários, datas de aniversário, dados familiares, etc. Tudo o que estelionatários pagariam um bom dinheiro para ter em mãos, não apenas para extorquir, mas para cometer fraudes bancárias, financeiras, até roubo de identidade.

Além disso, é uma forma de violência, como disse muito bem a vlogueira Laci Green: "um 'nu vazado' é uma forma NÃO-CONSENSUAL de violação sexual e TODOS que participam, vendo ou compartilhando as fotos, são parte do problema. Os corpos das mulheres NÃO SÃO propriedade pública."

Eu concordo com ela, mas como já venho falando disso há tempos, a internet virou um campo minado muito perigoso. A melhor forma de impedir uma agressão é que não haja agressor, mas neste caso, peço para todos: tomem mais cuidado com seus dados pessoais e arquivos. No caso de atrizes famosas, as imagens correm o mundo. No nosso caso, pessoas anônimas, as consequências de termos nossa vida nas mãos de um estelionatário podem ser bem mais graves.

15.8.14

Entre a raiva e a falta de empatia

Há alguns anos atrás eu "saí do armário" como ateu e hoje admito que passei um bom tempo sendo muito chato (na verdade ***muito*** chato). Só queria falar sobre isso o tempo todo e me irritava com facilidade - especialmente por querer levantar percepção para o preconceito que ateus recebem com regularidade. Eventualmente fiz minha paz comigo mesmo e parei com este proselitismo por dois motivos: (1) eu estava alienando pessoas das quais gosto e (2) a maioria das pessoas não se importa com o assunto, na verdade até prefere ignorar. Então era a mesma coisa que dar murro em ponta de faca: no fim das contas somente eu saía machucado.

Em meio à minha desnecessária raiva e indignação na época, um blogueiro anti-ateísmo marcou meu blog como alvo para suas vociferações. Deixou comentários no meu blog, fez printscreens, publicou no blog dele, disse coisas que não faziam nenhum sentido, foi extremamente agressivo e ofensivo por nenhum motivo. Ou seja, um típico troll da internet. Lidei com o assunto e a pessoa na época, conseguindo me livrar do estorvo. Nunca mais me importei, preocupei ou pensei nele.

Aí hoje eu estava procurando alguma coisa que já escrevi usando meu nome no Google, por acaso apareceu o blog do cara. Decidi entrar só por curiosidade, para ver se ele continuava com as mesmas implicâncias infantis e debilóides de anos atrás. Foi aí que percebi que ele encerrou as atividades em 2013, com a seguinte mensagem:
"Por último, a todos os sapienciais ateus de internet que não cansam de falar e escrever pérolas de burrice e que por ventura desconsiderem os conselhos acima (seja por birra, seja por ter certeza de que não é o caso), finalizo a meu típico modo: gostaria de mandar todos eles (e elas) tomarem no meio do olho do cu e desejar a essa gente a mais desgraçada vida possível - desejo que lido ou ouvido por quem de fato arcou com o ateísmo não faz um pingo de diferença ou escândalo."
Que lindo, não? Apenas para exemplificar, este é o tipo de tolerância, amor e carinho que ateus recebem com frequência.

A quem interessar possa: por favor, não seja assim. Mesmo que você não concorde ou aceite, pelo menos tente entender e ser tolerante com aquilo que você não é ou não vivencia. Desenvolver o mínimo de empatia só te ajudará na vida e asseguro, é muito satisfatório.

23.7.14

Como espalhar o amor para seus amigos

Chegamos naquela época do ano na qual todos começam a ter opiniões super-interessantes sobre a vida, o universo e tudo mais. Na verdade, as opiniões são sobre política e normalmente embasadas por textos sensacionalistas, falsos e mentirosos. E a opinião dos seus amigos e amigas? Ela não conta?

Claro que conta - porém normalmente inócua e desprovida de qualquer tipo de conteúdo real que não seja apenas reclamar, reclamar e reclamar - sem fatos ou dados. Mas importa. E eu me importo tanto que criei o brasão abaixo para uso livre, de modo que todos possam deixar bastante claro o que se pensa sobre oportunistas de opinião.


Copie e cole na sua resposta para o post mais idiota que ler todo dia! Será muito divertido, eu garanto!

11.7.14

Torcer pela Alemanha ou pela Argentina?



Motivos para torcer pela Alemanha

Eles tem um time jovem, disciplinado, talentoso e que tomou as mídias sociais de assalto com muita simpatia e bom humor. O time alemão parece estar se divertindo muito no Brasil e é isso que o futebol deveria ser: diversão e congregação, não uma "guerra" ou uma "batalha", como se é alardeado por aí. Esta nova geração de jogadores alemães tem desenvoltura, privilegia um futebol técnico e bastante habilidoso, porém sem esquecer sua tradição tática. Nas outras copas do mundo vencidas pela Alemanha, eles tinham times com foco total na organização e coletividade, porém abusavam das faltas táticas para parar o jogo e enfraquecer o adversário. Foi assim em 1954, 1974 e 1990. Futebol feio, porém eficiente. Pela primeira vez a Alemanha tem a chance de ser campeã mundial jogando um futebol bonito e elegante.


Motivos para torcer pela Argentina

É um time que surpreende pela disciplina e aplicação em campo. Dos argentinos sempre é esperada a raça no gramado e boa qualidade técnica, porém desta vez, eles conseguiram ir além - não tem um time desorganizado e sua defesa, composta por jogadores de nível relativamente baixo, compensa com a vontade e aplicação ao jogo, ajudada por um meio de campo igualmente batalhador e sem brilho, compensado por atacantes de habilidade indiscutível. A Argentina de hoje é a Alemanha de 1974. As copas vencidas pela Argentina em 1978 e 1986 foram manchadas por problemas éticos (os comprovados subornos em 78 e a famosa "mão de deus" do Maradona em 86), então é interessante ver a Argentina com a chance de ganhar, pela primeira vez, uma copa do mundo sem quaisquer suspeitas ou desvios de comportamento.

8.7.14

De quem é a culpa?

Muitos falarão que a culpa é do Felipão. Do Hulk. Do Fernandinho. Do Marcelo. Do Bernard. Do Fred. Do Zuniga, que meteu o joelho nas costas do Neymar. Ou até da Dilma, que nada tem a ver com a escalação da seleção. Procurem os demônios que vocês quiserem no escuro.

A culpa é de uma entidade chamada "Futebol Brasileiro".

Há anos venho dizendo e denunciando como os times de futebol do Brasil são obsoletos, vendidos às vontades mesquinhas de empresários que controlam os jogadores talentosos, comandados por dirigentes irresponsáveis e gananciosos. Seus times são capitaneados por técnicos de péssima qualidade, que ao invés de desenvolver os fundamentos do jogo nos nossos jovens talentos, incutem neles uma aplicação tática praticamente inexistente e amputam suas chances de se tornarem grandes jogadores. Existem exceções, que saem rápido para a Europa, em busca de dinheiro e fama.

E estes times acordam uma agenda nefasta com os detentores dos direitos de televisionamento e a CBF, de modo que ganhem dinheiro rápido, às custas dos torcedores, que apaixonados, continuam torcendo em sua fé e amor cego pelos times.

Mas não se preocupem, vou dar a fórmula para salvação do futebol brasileiro:

1) Times que disputam o Campeonato Brasileiro e Séries B, C não jogam nos Estaduais;

2) Os Estaduais servirão para determinar quais times tem acesso à Série D.

3) Os direitos de televisão recebidos pelos times do Campeonato Brasileiro devem ter uma porcentagem destinada para as divisões inferiores, de modo que todos os times, das séries B, C e D, recebam dinheiro.

4) A qualidade do campo de mando de um time para que ele jogue nas séries A, B, C e D deve ser maior.

5) Banimento dos empresários de futebol. Apenas pessoas jurídicas de entidades esportivas poderiam deter os direitos federativos e passe de um jogador.

Me chamem de inocente ou sonhador, não me importa. Isso resolveria.

7.7.14

Crônicas Aleatórias, disponível na Amazon

Meu primeiro livro, "Crônicas Aleatórias", já está disponível com exclusividade para dispositivos eletrônicos na loja da Amazon.

A propósito, terminei o livro hoje.

É sério. O link para compra na Amazon Brasil está aqui.

São 18 crônicas, algumas que eu já havia publicado no meu blog, a maioria delas nunca antes publicadas, compiladas de modo a falar sobre o cotidiano e o estranho.

Eu assinei um acordo cheio de sacanagens com a Amazon e só posso disponibilizar o livro através deles. Então, aqui está.

P.S.: este aqui é o link para compra na Amazon USA.

5.7.14

Acabou a copa para as "zebras"

"Pênaltis são uma loteria. O goleiro deles estava realmente bem. A Holanda mereceu ganhar nos 120 minutos."

Citação do Bryan Ruiz, meio-campista da Costa Rica, após seu time perder nos pênaltis para a Holanda.

Muitos jogadores por aí tem algumas coisas a aprender com ele, em termos de perder ou ganhar com graciosidade e elegância. Parabéns para a Costa Rica, verdadeira sensação da Copa 2014, que terminou o torneio invicta e tem que voltar para casa de cabeça erguida.

Agora é Brasil x Alemanha, Holanda x Argentina. As zebras da Copa 2014 deixarão saudades. Tudo "voltou ao normal".

2.7.14

Klose! Ein Tor mehr! Só mais um gol!


Quem acompanha a mídia brasileira conhece as decepções que o Ronaldo "Fenômeno" nos trouxe. Ele deu muitos gols ao Brasil, porém apenas gols. Por isso desejo que Miroslav Klose faça mais um gol e se torne o maior artilheiro de todos os tempos na Copa do Mundo.

Wer das Lesen der brasilianischen Medien kennt die Enttäuschung darüber, dass Ronaldo "Phänomen" hat uns gebracht. Er gab viele Tore für Brasilien, sondern nur Ziele. So wünsche ich, dass Miroslav Klose wird ein weiteres Tor zu erzielen und werde der beste Torschütze aller Zeiten bei der WM.

Wer die brasilianischen Medien kennt, weiß dass Ronaldo "Phänomen" trotz seinen vielen Toren, den Brasilianer nur Enttäuschung gebracht hat. Daher wünsche ich mir, dass Miroslav Klose noch ein Tor erzielt und damit WM-Rekordtorschütze wird.

1.7.14

A Zebra Zureta de 2014

Chegou a Copa do Mundo de 2014 e automaticamente o evento no Brasil se tornou o assunto mais falado em toda a história da internet, além de ser obrigatório em qualquer mesa de bar, encontro de amigos, reunião no trabalho. O país e o mundo inteiro vivem, respiram futebol. Até os tímidos EUA, sem tanta tradição no esporte, começam a desenhar uma torcida mais animada, inspirados no time "matador de gigantes" que no mesmo Brasil em 1950 registrou a maior "zebra" de toda a história do futebol mundial, ganhando a então toda-poderosa Inglaterra por 1 x 0 com um time semi-amador numa tarde ensolarada em Belo Horizonte.

E obviamente o assunto da Copa no Brasil tem, novamente, sido as "zebras", como eu disse outro dia numa matéria para o Globo News. Ainda estamos nas oitavas-de-final, mas se os pequenos Davi não derrotam os Golias, tem dado trabalho. Muito trabalho. É a Colômbia se tornando destaque, a Costa Rica saindo vitoriosa do "grupo da morte" eliminando Itália e Inglaterra, a Argélia e Suiça mostrando bom futebol, o México endurecendo contra o Brasil e quase eliminando a Holanda. Sem falar do Chile. Que time! Pode escolher à vontade - as zebras estão soltas.

Mas por quê justamente agora? Justo no Brasil?

Na minha opinião a culpa é clara: do Barcelona.

(Calma, calma. Pronto, se acalmou? Está mais calmo? Respirou fundo? Pode continuar lendo.)

Entre 2009 e 2012 o Barcelona (e por consequência a Seleção da Espanha) dominou o futebol mundial com um estilo de jogo lindo, elaborado, cheio de passes, domínio de bola e trabalho milimétrico para gerar alguns dos gols e jogadas mais belos já vistos em toda a história. O famoso "Tiki-Taka" da academia de La Masia. Entretanto, nos últimos dois anos o Barcelona decaiu muito, parou de ganhar tantos jogos com facilidade, passou a depender ainda mais da habilidade individual dos seus principais jogadores, que se não estivessem em um dia inspirado, não ajudavam muito.

O problema é que os outros times aprenderam a jogar contra o Barcelona. Os times ficaram mais compactos, dando menos espaço para a troca de passes livres, aplicaram grande foco no preparo físico dos jogadores, de modo que eles pudessem correr mais e se movimentar mais para compensar a falta de habilidade natural com a bola nos pés. Se um jogador excepcional perde um passe, um jogador medíocre está logo ao lado para recuperar a bola, jogar pra frente e armar um contra-ataque veloz e furioso. A aplicação tática e defensiva foi aumentada também, nós hoje vemos defesa com jogadores melhor posicionados, laterais com maior potencial defensivo e tático do que ofensivo, e principalmente, volantes habilidosos que sabem o quê fazer com a bola nos pés - não os vulgos "cabeças-de-área" (ou "cabeças-de-bagre") com os quais estamos acostumados aqui no Brasil, nada mais do que zagueiros que jogam mais avançados.

E por quê isso ficou claro justamente na Copa do Mundo e não nos campeonatos nacionais e regionais?

Os grandes clubes no mundo inteiro já sabem disso. Quando você assiste uma Copa dos Campeões da Europa, um campeonato inglês, alemão ou espanhol, já percebe que tudo o que eu disse aqui é prática comum. E sabe quem se beneficia disto? As seleções nacionais. Muitos jogadores destas seleções de "segundo" ou até "terceiro" escalão que estão surpreendendo na Copa 2014 jogam nos times que já tem este tipo de preparação em mente e implementada. E tem grande mérito também seus técnicos, que finalmente aprenderam com a história.

Brasil, Itália e Alemanha detem entre si 12 títulos mundiais, deste os 19 já disputados até agora. É um assombro! 63% dos títulos mundiais divididos entre apenas 3 nações. E sabem o quê as três tem em comum? Em todos os títulos que ganharam, o fizeram com times com grande aplicação tática, foco defensivo. Estes três times tem o melhor histórico defensivo das Copas do Mundo e para completar, vjeam que interessante: em 1998 a França só tomou 2 gols, assim como a Itália em 2006 e a Espanha em 2010. A Espanha, com seu Tiki-Taka!!!

Não tomar gols em um torneio rápido e voraz como uma Copa do Mundo é tão importante quanto fazer. E as seleções "pequenas" perceberam isso. Defender, contra-atacar, marcar, fazer faltas táticas, aguentar firme até o final do jogo. Essa é a fórmula do sucesso e não podemos tirar o mérito deles por terem chegado a uma conclusão simples: não são "zebras" que estão aparecendo no Brasil em 2014. São apenas times eficientes que aprenderam a jogar contra os "melhores" de igual para igual.

E eu estou amando muito tudo isso. Cada minuto, cada jogada.

30.6.14

Janela

A menina do lado
Vai todo dia à janela
Para um ou dois
Cigarros fumar

Ela olha a vida
Todo dia da janela
Com tristeza nos olhos
De ver tudo passar

E cigarros ela fuma
Debruçada na janela
E chora, todo dia
Sem lágrimas derramar