31.8.12

Tá difícil ou dá pra ser?


Estou aqui no hotel, assistindo a um jogo de basquete dos Jogos Paraolímpicos de Londres. No intervalo os apresentadores mostraram a vitória de uma atleta britânica, Hannah Cockroft, que ganhou a corrida de 100m em cadeira de rodas. Bastou o nome dela ser mencionado pelo apresentador que o Estádio Olímpico veio abaixo com uma ovação enorme.

Será que a sociedade carioca, por que não, brasileira, está preparada para dar essa recepção para nossos atletas paraolímpicos? Eles são indivíduos cuja capacidade de superação está com certeza além da minha capacidade de compreensão, mas tem 111% do meu apoio. Não apenas os brasileiros, mas os atletas paraolímpicos de todo o mundo.

Pode ser apenas um desabafo, mas não vejo como o Brasil será capaz de hospedar jogos olímpicos sendo uma nação que trata os atletas como párias. Se é apenas pra "mostrar pra gringo" que a gente também "sabe fazer bonito", muita coisa tem que mudar neste nosso lindo e amado país.

Minhas pequenas sugestões:

1) QUE O PROJETO-LEI DO SENADO NÚMERO 204/11, QUE TRANSFORMA CORRUPÇÃO ATIVA E PASSIVA EM CRIME HEDIONDO E INAFIANÇÁVEL SEJA LOGO APROVADO

2) QUE O GOVERNO INVISTA MAIS NOS ESPORTES E QUE AUMENTE OS INCENTIVOS FISCAIS PARA EMPRESAS QUE PATROCINAM ESPORTES

3) QUE OS BENEFÍCIOS FARAÔNICOS DOS POLÍTICOS EM BRASÍLIA SEJAM REVERTIDOS EM ORÇAMENTO PARA A EDUCAÇÃO

É assim que se constrói um país sério, saudável e inteligente. Tá difícil de entender, ou vamos continuar com o oba-oba e as medidas paliativas?