30.1.12

Pinheirinho e as algemas do Brasil



Eu achei esta foto particularmente mais forte do que as outras (não divulgo aqui o nome da autora, pois recebi a foto pelo facebook e prefiro respeitar a privacidade da mesma). Vejam este senhor de idade, sem posses, dormindo num colchão que não lhe pertence, com um cobertor que não aplaca o frio da noite. Ele virou um marginal.

Nosso país está criando marginais aos montes: as vítimas das chuvas em Niterói, na região serrana do Rio e Brasil afora. Os moradores de rua, que não tem abrigos, que não tem uma mão amiga. Os doentes que não conseguem lugar ao sol no SUS.

Eles são todos marginais. Foram todos colocado de lado pela sociedade, largados à sua própria sorte e à caridade de poucos. O Estado não se importa com eles. A classe média perde o interesse em suas histórias tristes com facilidade. Nós doamos uma muda de roupas, alguns quilos de comida e fazemos nossa parte.

Enquanto isso, as pessoas que realmente deveriam estar fazendo algo, protelam. Se não for de seu próprio interesse, jamais tomarão qualquer tipo de atitude para acabar com essa miséria, com essa dor. Inclusive continuarão alimentando os problemas, enfraquecendo os alicerces e fomentando a ignorância da população.

Nas eleições este ano, só vote em candidatos de ficha limpa. Vigie aqueles nos quais você votou. Exija que eles cumpram suas promessas de campanha, controlem seus gastos públicos e de gabinete. Interrompa o fluxo da desgraça humana na sua fonte: os nossos opressores, que acreditam que através da vida política, poderão enriquecer às custas da maioria. Ajude a libertar o país destas nefastas algemas, que nos prendem à dura realidade de ter que aceitar as coisas como elas são, simplesmente porque lutar contra o moinho-de-vento é impossível.

Mas por favor, faça alguma coisa, por menor que seja. Outros estão fazendo.

28.1.12

Pinheirinho

Prova da noite no Big Brother Brasil: 30 minutos
Capítulo da novela das 9: 60 minutos
Jogo de futebol no domingo: 90 minutos

Descobrir a verdade que a imprensa e o governo querem esconder: não tem preço

Por favor, gastem 18 minutos das suas vidas assistindo este video feito pelo meu amigo Pedro Rios Leão. Conversem sobre o video, critiquem, compartilhem. Mas façam alguma coisa! Se você, que está lendo isto aqui, ao final da transmissão estiver tão enojado(a) como eu, tenho certeza que ira fazer tudo ao seu alcance para se livrar deste véu de falsa liberdade que a internet nos dá. Nós temos que parar de aceitar placidamente tudo o que é jogado nas nossas caras, sem sequer pensar no contexto de tudo o que está acontecendo.

Eu sou um cidadão da República Federativa do Brasil. Eu me importo. O massacre de Pinheirinho é uma afronta à nossa cidadania, à nossa liberdade civil, à nossa república, ao nosso amado Brasil.



Não faz sentido?


Quanto menos conhecidas e quanto mais excêntricas forem as fontes, maiores as chances de todo mundo acreditar, não é verdade?

Imagine na Roma antiga. Um amigo teu chega e fala:

- Você ouviu falar dessa nova religião, os "cristãos"?
- Não... O quê são eles?
- Ah, eles acreditam em um deus só e que ele mandou seu filho pra Judéia pra salvar a humanidade.
- WTF?

19.1.12

Gordon Duncan

Sempre é bom relembrar. Conheci o trabalho deste gênio através do meu amigo Bruno Trece.

Gordon Duncan, um cara tão cheio de talento, músico brilhante, lutou durante sua breve vida contra duas doenças: o alcoolismo e a depressão. Foi considerado um dos maiores músicos no instrumento em todos os tempos, mas ainda assim jamais conseguiu um emprego qualificado, trabalhando como faxineiro e até gari. As doenças o levaram ao suicídio com apenas 41 anos de idade.

Ouça o que o cara era capaz de fazer. E da próxima vez que você esbarrar com uma pessoa desfavorecida e doente, imagine do que ela não seria capaz, se tivesse ajuda.



11.1.12

O novo poder da internet

Sei que o assunto já é meio "antigo", mas aqui está um exemplo do novo poder que a internet exerce junto à opinião pública. Creio que a tendência atual seja que este tipo de denúncia se torne mais comum, pois tamanha exposição pública acaba praticamente forçando que o ministério público e a polícia façam algo. E dá-lhe playboy admitindo que bebe e dirige depois da balada, agressões em boite filmadas, gente racista e preconceituosa falando asneiras no twitter e no facebook.

Agora, e que tal se tamanha comoção pública também englobasse a corrupção? Não quero incorrer em falácia, mas é fato que as pessoas comuns não denunciam corrupção - talvez por medo, talvez por nem saberem direito o que é um ato corrupto quando o enxergam. Se pelo menos a gente reclamasse e gritasse tanto na internet quanto nestas outras "causas perdidas", talvez o cenário global fosse um pouco diferente.

Novamente, não quero dizer que "a minha causa é mais importante que a outra". Isto aqui é apenas um desabafo, sobre como a "minha causa" tem tão poucos adeptos realmente leais.


9.1.12

Mais confusão na USP

Parte 1 da confusão:




Parte 2 da confusão:




Conclusão:

1) O estudante da USP desacatou sim o PM e deveria ter fornecido identificação quando solicitado, não ter se dirigido a ele de forma tão debochada.

2) O PM não deveria ter usado de força excessiva contra uma pessoa que não se mostrou violenta. Ele deveria ter levado o estudante para a delegacia, para averiguar sua identidade, até que ele fosse capaz de comprová-la com documento.

3) Os outros estudantes, ao alegarem que o PM foi racista, estão cometendo crime de calúnia, pois em nenhum momento foi sequer sugerido que o PM agrediu o rapaz que não se identificou por ele ser negro.

4) O quê diabos um PM, que deveria ser responsável pela segurança dos estudantes, funcionários e corpo docente da USP, estava fazendo ao acompanhar os seguranças particulares da mesma para evacuar uma área ocupada irregularmente, claramente um assunto administrativo da universidade?

Estão todos errados. Maktub.

7.1.12

Comercial da Heineken (Casino)

Para quem só está acostumado a ver a versão reduzida e cortada da propaganda na TV... A versão completa é MUITO mais legal. :)