30.10.11

Câncer



Você que está lendo isso aqui, iria para o SUS se já não tivesse plano de saúde? Iria para um hospital público se não pudesse ir para um particular?

Os problemas do Brasil são grandes e poucos políticos isentos de culpa. Mas não se brinca com a doença alheia. O câncer pode ceifar a vida de qualquer um, acho de extremo mau gosto essas piadas que estão rolando na internet com o Lula, ou as que rolavam com a Dilma. Câncer não é brincadeira.

Não sou petista. Não sou partidário. Mas é com respeito que começo qualquer discussão.

27.10.11

Desabafo sobre gatos


É, agora é só um desabafo mesmo. Já cansei de todas as vezes nas quais escutei pessoas criticando gatos, falando mal deles ou até atribuindo características negativas sem qualquer embasamento. Pra piorar, as mesmas pessoas vêem fotos de filhotinhos de gato fofinhos na internet e ficam pra morrer, achando tudo muito lindo e maravilhoso.

Enquanto isso, tem muita gente por aí chutando, dando paulada, arrancando pedaços de gatos na rua. Outro dia uma protetora de gatos com a qual tenho contato pelo facebook compartilhou a foto de uma gata que foi colocada para adoção... Ela foi encontrada com os dois olhos arrancados.

O último a falar merda foi o padre Marcelo Rossi, que compartilhou com fiéis de sua igreja sua opinião sobre gatos: que eles são "traiçoeiros." Ah, bacana. Que coisa linda, humana, que atitude de amor e compaixão. Vou compartilhar com o mundo a lição que aprendi com este moço tão simpático:

Não gosto de padres pois todos eles são pedófilos sujos e nojentos. Vejam aqui a prova.

Ou estou pegando pesado demais? Tsc tsc... Eu deveria generalizar menos, né?

23.10.11

Foco

Então, eu sinto que tenho que tirar uma coisa do peito. Já havia tomado a decisão alguns dias atrás, mas só hoje decidi colocar em palavras: não vou mais comemorar meu aniversário.

Estou ficando mais velho e progressivamente anti-social por causa disso. Recentemente falei um pouco sobre isso neste post. Então fiz minha festa de aniversário com um show da minha banda, mas não foi quase ninguém. Claro, muitas pessoas pediram desculpas pois realmente estavam impedidas de comparecer, mas ainda assim apareceu muito pouca gente. O pior lado da história é que a festa tinha um bom objetivo, o qual não foi alcançado.

Até alguns anos atrás, sempre fiz questão de comemorar meu aniversário em múltiplas fases, para poder encontrar com meus amigos do Rio, de Niterói, minha família, etc. Sinceramente, não tenho mais paciência pra isso. A partir de 2012, não farei mais nada além de uma pequena reunião em casa com meia dúzia dos meus amigos mais íntimos - se quase todo mundo que eu conheço só faz isso, porquê eu não deveria?

Mas o mais importante nesta nova fase se chama foco. Em uma semana, só tenho em média 50 horas livres para meus projetos pessoais, tenho que começar a fazer cada uma dessas horas render mais ainda. Mas como?

- Ser menos sedentário;
- Praticar mais guitarra e violão;
- Escrever mais;
- Me divertir mais;
- Ver menos televisão;
- Passar menos tempo no computador.

E claro, perder menos tempo com outras coisas que não valham tanto a pena.

14.10.11

Rafinha, Wanessa, Bebês e Gaiman

Pode parecer que não, mas venho acompanhando alguns assuntos há algum tempo. Por exemplo, como funciona o humor brasileiro de hoje em dia. Agora o Rafinha Bastos diz sobre a Wanessa Camargo, grávida: “comeria ela e o bebê, não tô nem aí! Tô nem aí!”

"Ah, é só piada, vocês não tem censo de humor?"

"Censura! Censura! Você está cerceando meu direito de expressão!"

Eu não vejo o CQC por isso. Como todo bom humor da televisão, está indo longe demais. Mas ao invés de cair na mediocridade simplória de "A Praça É Nossa" ou "Zorra Total", ou na repetição insossa do "Pânico na TV", o CQC tenta ser irreverente e politicamente incorreto. Mas tem limite pra tudo, né.

Que fique claro: eu não comeria a Wanessa grávida ou não grávida. E muito menos o bebê dela, ou de qualquer outra pessoa:

11.10.11

Prestação de Contas

Sexta-feira passada comemorei meu aniversário com um show da minha banda no Espaço Convés. O objetivo era que todo o lucro do evento fosse revertido para a Casa do Ronald McDonald, um instituição de caridade de abriga crianças com câncer em tratamento.

Vou ser bastante sucinto. Conforme prometido, a prestação de contas do meu aniversário segue abaixo. Não vou abrir publicamente os custos exatos com o aluguel da casa, equipe de sonorização e outros, pois isso poderia prejudicar o negócio dos meus fornecedores.

Custos do evento: R$ 750,00
Bilheteria: R$ 320,00
Lucro/Prejuízo: (R$ 430,00)

Não foi dessa vez. Além disso, colocamos uma lata para recolhimento de doações no dia do evento, a qual recebeu R$ 43,55. Este dinheiro será enviado para a Casa do Ronald. Por coincidência, hoje descobri que o blog "Bule Voador", que assim como eu faz parte da Liga Humanista Secular do Brasil, também está oficialmente apoiando a instituição. Vale a pena divulgar essa idéia.

8.10.11

Aniversário Chegando

A vez de soprar as velinhas se aproxima novamente. Sempre achei 33 uma data emblemática e não porque eu sou religioso (aliás, pelo contrário). Na verdade eu só acho o número bonitinho, é só isso. Mas depois do 33 vem o 34, que convenhamos, é um número bem sem graça. O próximo número legal será o 35,  mas não liguem para meus devaneios numéricos.

Ontem comemorei meu aniversário com um show da minha banda, a BluesGraf, no Espaço Convés, em Niterói. Foi divertido, muitos amigos aparecerem e as outras bandas que tocaram estavam animadas e fizeram sets excelentes, muito empolgantes.

O chato é que conforme vou ficando mais velho, também fico mais intolerante, o que é bastante natural. Agora, por exemplo, acabei de perder de vez a paciência com aquela galera do "a gente tem que marcar alguma coisa" ou então "você anda sumido", mas vou explicar melhor.

O pessoal do "a gente tem que marcar alguma coisa" sempre cobrará sua presença e que você realmente marque de fazer algo com eles. Mas quando você literalmente os chama ou tenta combinar algo, sempre furam. Mas você continua esbarrando casualmente com essas pessoas, as quais provavelmente nunca irão aceitar um convite de verdade.

Já o pessoal do "você anda sumido" é pior ainda. É gente com empatia "zero", incapaz de olhar no espelho e perceber que não foi o mundo que desapareceu, mas são as pessoas que se afastam por vários motivos. Ninguém é onipresente, ninguém pode estar em todos os bares, pubs, festas, parques, praças, cinemas, tudo ao mesmo tempo. Mesmo que você tenha uma vida social agitada, eventualmente começa a filtrar melhor os programas. É natural.

Aos 33 anos, o meu perfil é: casado, caseiro, só gosta de beber em bares onde toca rock, assiste futebol inglês no fim-de-semana, toca e canta numa banda de rock, normalmente é meio rabugento e estressado, trabalha durante a semana. Se você é meu amigo ou amiga e não consegue se encaixar mesmo que parcialmente no perfil acima, me desculpe, mas é compreensível que nós não tenhamos mais tanto contato. Isso não significa que deixei de gostar de você, nós só não temos mais tantas coisas em comum. Então acho que está na hora de começarmos a ver outras pessoas.