4.3.10

A Feira Satânica

O Salman Rushdie foi confirmado para vir à FLIP (Feira Literária de Paraty - RJ) em Agosto. Para quem não sabe ele é o autor do livro "Os Versos Satânicos", que lhe rendeu moderada aclamação da crítica e uma sentença de morte do Irã no final dos anos 80.

Para quem insiste em abster-se da instável wikipédia ou do conhecimento básico de eventos contemporâneos, obviamente Rushdie vem sendo caçado e perseguido por radicais fãs do Darth Khomeini há mais de 20 anos. A sentença de morte foi emitida, ele vem sendo constantemente ameaçado de morte, mas não conseguiram dar cabo à sentença, caso contrário seria necessária a presença de um médium na FLIP para intermediar a sessão de autógrafos como o autor (poderia ser chamada de "sessão psico-autografada"?).

Na verdade o meu ponto é: o Brasil agora é amiguinho do Irã. O Lula até contraria a titânica norte-americana Hillary Clinton (Calamity Hilly para os íntimos) para continuar amigo do Irã. Ok, até aí nada muito estranho, o Brasil sendo aliado de um país com um déspota que faz o que bem quer e entende com a população e ainda é aplaudido. Nós fazemos isso há anos com o Hugo Chávez, que nem está tão longe né? Mas eu estou divagando.

Voltando, o Brasil é amiguinho do Irã (e da Venezuela). Amiguinho do Irã, país que praticamente colocou um preço na cabeça de Billy "Rushdie" The Kid (a recompensa é um lugar no Paraíso por ser um bom crente, bonito isso, não?). E de repente o cara é confirmado para vir ao Brasil, ficar numa cidade pequena, num evento seleto com poucas pessoas e provavelmente pouca segurança. Fica a pergunta que assim como Hugo Chávez não se cala: seria uma cilada?

Eu se fosse o Rushdie contratava um monte de seguranças para andarem com ele por todos os cantos e não sairia do hotel sem um bom colete de kevlar. Se isso não for proteção suficiente contra um assassino internacional, pode ajudar a sobreviver numa potencial estadia no Rio de Janeiro, caso ele queira dar uma voltinha na praia.

3 comentários:

Bruno N. disse...

Poxa, Bart... "amiguinho", mesmo entre aspas, é uma palavra forte. Pelo que andei lendo (ok, não foi uma leitura muito extensa) o que o Brasil tem feito é tentado não "bater cabeça" pra tudo que os States pedem/dizem/pensam/exigem. Uma postura no melhor estilo do "não fode nem sai de cima". O que, até certo ponto, é até compreensível. Atenção pro "até certo ponto" :)

Loryfairy disse...

http://www.youtube.com/watch?v=v0_Z23XDfoQ&feature=related

Carlos Jorge Cruz disse...

Amiguinho do Iran sim! Amiguinho de Hugo Chaves, igualmente. Verifique, senhor Bruno N. a pauta e as resolucoes verdadeiramente macabras para a tomada comunista da América Latina definidas no Foro de Sao Paulo, no caso da amiyade com Hugo "Chaves(z)". A respeito do Ira e o relacionamento do Brasil com tal país, nao sei o que seria pior: Apoiar um regime totalitário teocrático islâmico por proximidade ideológica e/ou oportunidades economicas, ou para fazer 'birra' e contrariar os EUA, assim como um filho de 2 anos se joga no chao por nao querer fazer o que a mae lhe mandou fazer... Nos dois casos, a conseqüência é a mesma. Bom, se você pensar que a conseqüência é "Diminuir a presenca do Império Satanico Norte Americano", entao nao é a mesma que eu penso e é melhor nao conversarmos mais sobre esse tema, senao haverá tapas e ponta-pés! Brincadeira... hehehe
Ósculos do homem que nao é o Paladino.