A Feira Satânica

O Salman Rushdie foi confirmado para vir à FLIP (Feira Literária de Paraty - RJ) em Agosto. Para quem não sabe ele é o autor do livro "Os Versos Satânicos", que lhe rendeu moderada aclamação da crítica e uma sentença de morte do Irã no final dos anos 80.

Para quem insiste em abster-se da instável wikipédia ou do conhecimento básico de eventos contemporâneos, obviamente Rushdie vem sendo caçado e perseguido por radicais fãs do Darth Khomeini há mais de 20 anos. A sentença de morte foi emitida, ele vem sendo constantemente ameaçado de morte, mas não conseguiram dar cabo à sentença, caso contrário seria necessária a presença de um médium na FLIP para intermediar a sessão de autógrafos como o autor (poderia ser chamada de "sessão psico-autografada"?).

Na verdade o meu ponto é: o Brasil agora é amiguinho do Irã. O Lula até contraria a titânica norte-americana Hillary Clinton (Calamity Hilly para os íntimos) para continuar amigo do Irã. Ok, até aí nada muito estranho, o Brasil sendo aliado de um país com um déspota que faz o que bem quer e entende com a população e ainda é aplaudido. Nós fazemos isso há anos com o Hugo Chávez, que nem está tão longe né? Mas eu estou divagando.

Voltando, o Brasil é amiguinho do Irã (e da Venezuela). Amiguinho do Irã, país que praticamente colocou um preço na cabeça de Billy "Rushdie" The Kid (a recompensa é um lugar no Paraíso por ser um bom crente, bonito isso, não?). E de repente o cara é confirmado para vir ao Brasil, ficar numa cidade pequena, num evento seleto com poucas pessoas e provavelmente pouca segurança. Fica a pergunta que assim como Hugo Chávez não se cala: seria uma cilada?

Eu se fosse o Rushdie contratava um monte de seguranças para andarem com ele por todos os cantos e não sairia do hotel sem um bom colete de kevlar. Se isso não for proteção suficiente contra um assassino internacional, pode ajudar a sobreviver numa potencial estadia no Rio de Janeiro, caso ele queira dar uma voltinha na praia.
Postar um comentário