15.2.10

Não gostei do Rock Band Beatles

Eu estava com este post entalado na garganta há algumas semanas, preciso desabafar - e nada como o ócio carnavalesco para transbordar pensamentos para o teclado. Então, eu não gostei do Rock Band Beatles. Antes de explicar os motivos precisos, vou explicar um breve histórico pessoal.

Quando criança um dos meu lugares preferidos da casa para brincar era o escritório. Era um quarto em anexo à cozinha da casa onde cresci no Rio de Janeiro, no qual ficavam quatro estantes grandes recheadas de enciclopédias, livros e os discos e fitas K7 dos meus pais. Na coleção deles fundamentei meu gosto musical desde pequeno, ouvindo gravações antológicas de bandas como Led Zeppelin, The Who e The Jimi Hendrix Experience. Havia clássicos também, como Vivaldi, Mozart, Beethoven, Bach e Wagner. Também havia The Beatles.

Passei boa parte da minha infância ouvindo as cantigas do Quarteto de Liverpool e simultaneamente ouvindo meu pais contarem as histórias sobre como eles foram o maior grupo de rock de toda a história, de quando o John Lennon disse que eles eram mais populares que Jesus Cristo, ou simplesmente de como eles eram uns rapazes pobres de uma cidade onde a vida era dura e acabaram virando músicos milionários e mundialmente famosos. Obviamente eu escutava os discos de forma frenética, desde que me entendo por gente, o que inclusive me levou a rabiscar hediondamente a capas dos vinis-coletênea "Vermelho" e "Azul", colocando os nomes dos membros do grupo acima de seus rostos (o que me leva a pensar que quando tiver um filho preciso esconder os encartes dos meus CDs).

A segunda parte do histórico é a minha opinião sobre Rock Band e Guitar Hero: eu gosto dos jogos. Não os teria em casa, pois com certeza não tenho paciência para jogar estes dois estensivamente e provavelmente estaria jogando dinheiro fora. Mas acredito que ambos são os dois melhores "jogos de festa" de todos os tempos. São interativos, são dinâmicos, são divertidos... São karaokê. É isso mesmo, é um karaokê, ou melhor, videokê. A diferença é que ao invés de tocar uma música pela-saco do Só Pra Contrariar, você pode cantar clássicos como "Livin' On A Prayer", "Don't Stop Believing" ou "Aces High". Cara, isso é muito, mas muito legal, diversão pura. E Rock Band Beatles, que teoricamente junta algo que eu amo com algo que eu acho muito legal?

O jogo é chato. Muito chato.

As músicas do Rock Band Beatles são tão fiéis às originais e os "vídeos" com a banda na tela são tão fidedignos que o jogo é chato. Você não consegue se colocar no lugar do "rock star", no máximo você interpreta o Ringo Starr (desculpem, não podia deixar de passar essa). Uma das coisas mais legais do Rock Band / Guitar Hero é a capacidade de sair zoando tudo e dane-se, este é o princípio básico da diversão. Mas com as músicas dos Beatles parece um sacrilégio, um pecado mortal, o assassinato de algumas das cantigas mais perfeitas de toda a história.

O jogo é lento. Muito lento. A maior parte das músicas não tem muita pegada, ou são bobinhas demais (fase "Iê Iê Iê") ou são viajadas demais (fase "Ácida"). O jogo é tão fiel às gravações mestre que ele fica travado, tudo é esquematizado, tudo é certinho demais, chatinho demais, fechadinho demais, igualzinho demais, boboca demais, pleonástico demais, repetitivo demais.

Conclusão: vamos tocar músicas dos Beatles numa banda? Com certeza. Eu posso pegar o violão agora mesmo para tocar "Norwegian Wood" ou "Across The Universe" que será muito divertido, mesmo sendo duas músicas lentas, baladinhas. Os Beatles não saem do meu iPod, desde que eu tenho um iPod (eu já mudei de modelo uma vez), são presença obrigatória e normalmente embalam meus Natais em família. Estou certo que meus amigos que são fãs do jogo me perdoarão pela heresia, pois sabem que não sou um radical ou purista fundamentalista, mas por mim o Rock Band Beatles nunca teria saído do papel. E quem for Beatlesmaníaco a ponto de não aceitar a opinião alheia, bem, dane-se. Continue com o joguinho eletrônico que eu vou fazer coisa melhor.

9 comentários:

Bart Rabelo disse...

Querem saber da maior? Eu realmente toquei "Norwegian Wood" depois que publiquei este post!

Wendy disse...

cara, eu tb nao compraria.. e tb achei q a seleção de música não foi das melhores (qq fã de beatles sabe que poderia ser muito muito melhor), mas nao me sinto praticando nenhum sacrilégio quando participo.. e o mais engracado, nao vejo o rock band como um 'jogo' ehehe, vejo mais como um karaoke mesmo.

Clara Edwiges disse...

É. O jogo é chato. Pra caralho. Mesmo.

Tatiana disse...

Tenho minhas críticas, mas curti o jogo como coisa legal em uma festa. de fato, não é um jogo, é um videoke mesmo! De qualquer forma, não sou cliente de jogos que exijam coordenação como Guitar Hero, vcs sabem que prefiro os RPGs por causa disso. snif. Quem sabe na próxima vida!

Cecilia Rodrigues disse...

Cara, Bartê!
Eu amei o Beatles Rock Band!
Amei mesmo!
Me divirto até hoje
achei os vídeos fofos e vejo este tipo de jogo como a "salvação" da falida indústria fonográfica!

Pena que você não gostou! Ia te desafiar na bateria!
uauHUhauhAU

wenDY disse...

hahaha alias, jogamos outro dia e lembrei de vc, Bart!!!

Anônimo disse...

"Extensivamente" com S no lugar de X, já foi dose de ler. O que esperar de um rock band dos beatles? Esta banda é boa de ouvir, mas um saco de tocar. O jogo é apenas fiel à simplicidade que são as músicas desta banda.

Bart Rabelo disse...

Olá, Anônimo. Obrigado por apontar este erro de digitação, será corrigido prontamente. Da próxima vez deixe seu nome, obrigado.

Diego disse...

E você... é chato demais. Beatles Rock Band é absurdo de bom. Quem é fã de verdade curte demais.