16.11.10

Primeiro post feito do celular

A quem assina meu feed, peço desculpas. Este aqui é o meu primeiro teste de postagem a partir do meu Nokia E71, usando o Opera Mini 10.

Obviamente, se não der certo, vou apagar o post assim que for possível. Caso dê certo, creio que posts um pouco mais curtos aparecerão com maior frequência por estas bandas (apesar do teclado do E71 ser "qwerty", ainda assim é meio chato ficar digitando demais nestas teclinhas minúsculas).

11.11.10

Um novo conceito de educação e polidez

A entrada do meu prédio tem um caminho longo, mas desde o portão é possível ver o elevador social e quem está lá esperando para subir. Cheguei ao prédio, vi que uma senhora de meia idade estava esperando o elevador. O porteiro abriu a entrada para mim e comecei a caminhar com passos apressados quando percebi que o elevador tinha chegado. A senhora de meia-idade olhou na minha direção (não tinha como não me ver), entrou no elevador e deixou a porta delicadamente fechar atrás dela. Então literalmente corri o mais rápido que pude, segurei a porta e entrei. Ela, com um sorriso amarelo disse:

- Ehr, eu não te vi.

"Não me viu uma ova", pensei. Nem para pedir desculpas, velha abusada. Então o elevador chegou no meu andar e eu disse a única coisa que poderia naquele momento:

- Boa tarde.

Entretanto disse isso de forma curta e grossa. Nem olhei pra cara dela. Mas disse "boa tarde" e cumpri com as regras básicas da edução. É engraçado como um simples cumprimento pode soar tão bélico, tão cheio de asco e repúdio. Então percebi que na verdade isto é um conceito antigo e agora, escrevendo, descobri a palavra correta para o meu comportamento:

"Educavalo."

Eu fui educavalo. Está aí uma boa idéia. Sejamos educavalos com aqueles que nos ofendem não oferecendo a outra face, mas sim um coice bem aplicado sem sutileza e com suposta educação.

6.11.10

Área VIP?


O primeiro show ao qual eu fui com a tão odiada "Área VIP" foi (acreditem) do Joe Satriani. Obviamente era uma "vibe" diferente. Agora com os shows de rock mais, digamos assim, vigorosos, a coisa fica mais latente. As cenas do video acima são do show do Rage Against The Machine no Chile. Aconteceram no mês passado, quando eles vieram ao Brasil e teve o mesmo quebra-quebra, empurra-empurra e invasão.

Alguns diriam: "isso é coisa de show de rock e metal mesmo, são todos loucos violentos". Se você pensa assim, pode parar de ler aqui e sair para babar ovo do Arnaldo Jabor ou do André Forastieri. A última vez na qual alguém morreu num show de rock no Rio de Janeiro foi em 1993, quando dois rapazes caíram no fosso do Maracanazinho e foram eletrocutados, durante um show da violentíssima banda de rock-bélico australiano: Midnight Oil. Sim, a banda daquele rapaz careca gente boa e que agora é o ministro do Meio Ambiente da Austrália. Obviamente foi um problema estrutural, sem correlação com a música ou com os frequentadores do evento.

Há um número muito maior de mortes e violência registrada em eventos de pagodes, axé, funk, micaretas e afins. Já o rock e o metal são igualitários, liberadores, niveladores. Os produtores insistem em separar o público, alegando que precisam de recursos para trazer as bandas. Vejamos: o dólar está em baixa, o preço dos ingressos continua subindo e as barreiras das áreas VIP também. Eu digo que os produtores de eventos em larga escala estão lucrando excessivamente. Isto se reflete nas pessoas que estão lá.

Em Março o Iron Maiden virá para o Rio. Desde já anuncio que só irei ao show da Donzela se não houver área VIP - não que eu goste de ficar "grudado" lá na frente ou que não tenha dinheiro para pagar um ingresso mais caro e esteja recalcado. O fato é que eu gosto de sair, me divertir, curtir boa música e boa companhia. Não quero assistir ao show da maior banda de metal do mundo tendo que me preocupar com a minha segurança, da minha esposa e dos meus amigos. Quero poder cantar "Fear of the Dark", não me defender de seguranças obtusos e pessoas desnecessariamente exaltadas e levadas a um comportamento extremo por terem algumas liberdades cerceadas - e por terem sido enganadas por empresários que só pensam em dinheiro.

Lamentável.

25.10.10

Guitarras Subestimadas

Há muitos anos atrás eu comecei a escutar Savatage e comprei meu primeiro violão e minha primeira guitarra por causa da influência mágica que o som do Criss Oliva teve na minha vida. Ao passar dos anos só pude lamentar o acidente trágico que ceifou a vida de um dos maiores e mais subestimados guitarristas de todos os tempos e que era o meu favorito.

Quanto mais eu escutava a guitarra do Criss mais eu gostava dele. Era descobrir uma nuance num riff, um lick diferente ou sentir a atmosfera que sua técnica era capaz de dar a uma música. Não é à toa que "Tonight He Grins Again" é a música favorita o outro fundador da banda, Jon Oliva, mas também é a minha música favorita no mundo. Poucas pessoas seriam capazes de captar com uma guitarra o arrependimento, dor, tristeza, angústia e raiva de uma música que conta a estória de um viciado em heroína que percebe o ciclo de auto-destruição no qual se jogou e como isto o afastou de tudo o que ama no mundo.

Agora a mesma coisa está acontecendo comigo de novo, mas o guitarrista é outro: Rory Gallagher. Quanto mais ouço as músicas dele mais percebo a grandiosidade de um homem que era tão humilde que não sabia se auto-promover. Ele só gostava de subir no palco e tocar música para as pessoas, mas não "qualquer" música. Irlandês pobre de Cork, sua alma era blues, sua voz era rebelde. A guitarra era incrível. Morreu razoavelmente cedo, também subestimado e sem o devido reconhecimento.

Infelizmente jamais verei meus guitarristas favoritos ao vivo, mas posso compartilhar contigo os links abaixo.


22.10.10

Viva el Mercado Livre

Então galera, a venda dos meus mangás está sendo um sucesso absoluto! Só sobraram três coleções, das quais quero me livrar o mais rápido possível pois em breve estou de mudança e quero deixar todas as coisas antigas para trás. Ainda tenho para vender:




Para completar, a cereja do bolo: já vendi meu teclado também. O mais legal é que foi para um rapaz que está começando a estudar agora e vai usá-lo bastante. Instrumentos musicais foram feitos para criar música e o mais chato era ver aquele teclado lá em casa parado, sem utilidade.

5.10.10

O que está nas entrelinhas das notícias



É boa prática aprender a ler nas entrelinhas e a inteligência do povo Brasileiro tem sido constantemente subestimada nos últimos dias. Sabem qual foi o percentual de votos brancos/nulos em cima do total de votos recebidos para presidente? 8,64%. São 9,6 milhões de votos em branco ou anulados. Pois é.

Para governador do Rio de Janeiro o voto branco/nulo ficou em segundo lugar, com 1.67 milhão de votos, contra 1.63 milhão do Gabeira. Um total de 17,51% do total de votos. Para senador do mesmo Estado, o percentual de votos em branco e nulos foi 23,18%, para deputado federal foi 16,44% e para deputado estadual 13,44%.

Algo no mínimo expressivo, concordam?

Os jornais só divulgam os dados e estatísticas em cima dos votos válidos, mas a cada ano o movimento pró-voto nulo ou em branco cresce. Isto sim é o que a mídia vendida, os políticos corruptos e quaisquer outras instituições que acham (minto, que tem certeza) que nós somos gado constantemente indo para o matadouro não querem que você saiba. O resto é balela.

E está tudo na internet, no site do TSE. Fácil, não?

25.9.10

Niterói e a (des)Ordem Social

Setembro está sendo um mês um tanto o quanto complexo, então escrevo este post mais para não deixar passar em branco do que qualquer coisa. A motivação é simples: paz de espírito.

Estou em casa, tentando cuidar da minha própria vida e sou martelado por bares nas esquinas tocando música alta. Todo fim-de-semana é assim. As pessoas que vem para os bares param seus carros de forma irregular e lotam as ruas com máquinas caras, possantes e desrespeitando a lei e o espaço comum, inclusive estacionando em cima de faixas de pedestres. Para piorar, hoje a cobertura de um prédio próximo está abrigando uma bateria de escola de samba.

São onze horas da noite e eu estou em Icaraí, zona sul de Niterói. Nosso IPTU é um dos mais caros do Estado do Rio de Janeiro mas ainda assim não temos uma série de benefícios. O bairro é inseguro, pois Niterói agora está infestada de bandidos que fugiram do Rio de Janeiro e suas geniais UPPs. Aparentemente a ordem geral da polícia local é continuar fazendo blitz para pegar motociclistas irregulares, muito raramente prendendo bandidos de verdade.

A profusão de novos prédios e outros em construção, alavancada pela especulação imobiliária imoral praticada em Niterói, faz com que o abastecimento de eletricidade e água seja deficiente. Aliás, falando em água, quando chove o bairro inteiro é alagado. A rede de esgotos simplesmente não comporta o "desenvolvimento" da região e de acordo com um amigo que é engenheiro civil, os rios subterrâneos e lençóis freáticos de Icaraí tem suas rotas constantemente alteradas e desviadas pela construção destes novos prédios, o que faz com que durante as chuvas eles não dêem vazão para todo o volume de água recebido, eis mais alagamentos.

Cansei de pagar o pato. O playboy continua comprando sua maconha e o seu pó, mas o traficante ameaça a segurança e as vidas da minha família. A classe média alta continua enchendo a cara nos barzinhos fajutos da moda com suas caras máquinas estacionadas irregularmente. Outro dia eu quase fui atropelado por um destes bêbados desgraçados que entrou na minha rua na contra-mão e subiu na calçada para entrar na garagem do seu prédio - o prédio ao lado do meu. A família do bicheiro ou do político (são ambos parte da mesma raça nojenta e desgraçada) continua fazendo uma festa que, literalmente, acorda todo o quarteirão.

Na boa, eu quero mais é que essa gente toda vá se foder. Sei que estou ficando mais rabugento à medida em que envelheço, mas ei, eu já sabia que isso aconteceria, conheço os genes da minha família. Estamos caminhando a passos largos em direção à completa desordem social em Niterói, mas estou preparado para me defender nesta situação. E estou pouco me fodendo para quem discorda de mim.

29.8.10

Toda a verdade sobre as Barcas

Se preparem que o texto é longo e se estou avisando isso é porque é longo mesmo. Vamos começar pelo início. Para quem não sabe, o serviço de barcas realiza a travessia entre o Rio de Janeiro e Niterói diariamente há quase 160 anos. Durante muito tempo ele pertenceu à iniciativa privada, até que em 1967 foi estatizado.

Vamos chamar o primeiro período "pré-estatização" de "Caos 1". Nesta época, particularmente nos anos 50 e 60, quando o serviço era controlado por um consórcio chamado "Grupo Carreteiro", começaram as primeiras revoltas. A famosa "Revolta das Barcas" aconteceu em 1959, causada por um simples dia de atrasos, filas longas e desorganização total. Porém o serviço já vinha apresentando péssima qualidade há tempos. Sucedeu-se um levante geral, com a destruição parcial da Estação da Cantareira, de parte da frota e da mansão da família Carreteiro, no bairro do Ingá.

Mesmo com tanta bagunça e revolta, os problemas continuaram. A foto acima é de uma nova revolta, realizada em 1961, após um anúncio de aumento no valor das passagens. Desta vez a Estação da Cantareira não resistiu e sucumbiu definitivamente ao fogo, sendo então substituída por uma estação "temporária" no centro de Niterói. A tal estação "temporária", que serviria apenas como medida paliativa, é a atual estação que nós conhecemos.

Veio 1967, a estatização e a família Carreteiro se viu livre do "fardo" da Barcas. Pobres coitados, após tantos anos explorando os serviços e sugando o dinheiro do Estado, sempre alegando prejuízo, eles continuavam comprando propriedades e aumentando sua fortuna. Não sei como é na casa dos outros, mas aqui quando o dinheiro está curto, a gente costuma parar de gastar ao invés de sair comprando coisas aleatórias.

Em 1998 o tal consórcio "Barcas S/A" ganhou uma concessão de 25 anos para explorar os serviços das barcas. O que pouca gente sabe e que a Barcas S/A faz de tudo para que ninguém descubra, é que os acionistas deste consórcio são: Andrade Gutierrez (empreiteira), Viação 1001 (transporte rodoviário), Wilson Sons (empresa de logística e soluções navais) e RJ Administração e Participações (não sei que empresa é esta).

Peralá. A Viação 1001 a gente conhece, eles praticamente monopolizam o transporte rodoviário intermunicipal entre a Grande Rio e o resto do estado. Legal que eles também se interessem por transporte hidroviário, não? Mas vou contar outro segredo guardado a sete chaves. Sabem a Ponte Rio-Niterói, também conhecida como a "outra" forma de se atravessar com certa rapidez (hoje em dia isso é monstruosamente discutível) a Baía de Guanabara? Sabem quais são as empresas que formam o consórcio Ponte S/A? A Andrade Gutierrez e a Camargo Corrêa. Duas empreiteiras, cujo consórcio faz parte da CCR, também conhecida como a empresa que "está tapando buracos pelo Brasil inteiro, colocando pedágios e ganhando uma grana violenta com isso". E no nosso caso, a Andrade Gutierrez também manda nas barcas. Ou seja, esta idônea, sólida e poderosa empresa é uma das responsáveis por toda a merda que ocorre no transporte entre o Rio e Niterói, seja por terra (ponte) ou por mar.

Só pode ser sacanagem com a nossa cara, né? Podemos concluir que em 1998 iniciou-se o "Caos 2".

Então, no ano passado, em Abril de 2009, eu estava lá na Estação da Praça XV quando rolou um quebra-quebra generalizado, motivado por uma noite de atrasos, filas longas e desorganização total. Porém o serviço já vinha apresentando péssima qualidade há tempos. Sim, acabei de copiar o texto do segundo parágrafo, pois a situação é absolutamente idêntica à de 1959 e 1961. As pessoas estavam nervosas, era literalmente uma turba enraivecida. Consegui entrar na estação, pagando minha passagem como bom e honesto otário que sou, apesar de todos estarem pulando as catracas. Uma barca veio, o capitão sensatamente não abriu as portas e foi embora, pois provavelmente a embarcação seria invadida, pessoas se machucariam e a super-lotação poderia causar uma tragédia. Lá na rampa de embarque encontrei com um amigo sensato que me convenceu a procurarmos cerveja em um bar ao invés do caos instaurado lá nas barcas.

Passou-se mais de um ano e na semana passada lá estava eu, dentro da estação das barcas em Niterói, esperando meu transporte de péssima qualidade para o Rio. A barca das 08:00 hrs veio em nossa direção, deu um belo "cavalo-de-pau" na água e seguiu reto em direção ao enrocamento de um shopping próximo dali. Bateu. Disseram que foi um "desvio", uma "ancoragem de emergência". Gente, a barca bateu. Simplesmente bateu, como mostra a foto acima, de 2010. E poderia ter sido pior, se o capitão da mesma não tivesse desviado de uma estação apinhada com mais de 2000 pessoas. Seguiu-se uma manhã de atrasos, filas longas e desorganização total. Porém o serviço já vinha apresentando péssima qualidade há tempos.

Foi mal. Copiei o mesmo texto de novo. O pior é que isto vai continuar acontecendo, pois o tal Grupo Barcas S/A ainda tem a concessão por mais 13 anos. Eles vivem pedindo ajuda financeira ao Governo do Estado, alegando prejuízos e falta e capital para investir no negócio. Caramba, coitadinhos, não? Nem parecem ser algumas das empresas mais poderosas do Estado que estão mendigando dinheiro para os cofres públicos. Meu dinheiro. Seu dinheiro. Nosso dinheiro, de otários que não apenas pagam um absurdo em impostos, mas também pagam para usar o serviço podre e desumano ao qual as Barcas S/A nos submetem.

Eles realmente precisam de dinheiro? É uma questão pública? Então que as contas das Barcas S/A sejam abertas para o público! Eu quero ver os números, quero ver o tal prejuízo que eles alegam ter. Está tão difícil assim a situação? É o mesmo com todo mundo, malandro. Aqui em casa também está. Eu bem queria ter uma televisão Full HD de 42 polegadas, mas agora não dá. Tenho que me contentar com a LCD de 22 polegadas, que aliás, ganhei num sorteio na festa de fim-de-ano da minha empresa.

A Barcas S/A que se prepare. Sábias são as pessoas que aprendem com a história e como nós já vimos, a diferença entre a Revolta de 1959 e a de 1961 é que a segunda foi motivada por um simples aumento no preço da passagem, para se ver o estado de nervos generalizado das pessoas que utilizavam o serviço. Do jeito que a coisa anda, é bem provável que o consórcio faça o mesmo a qualquer momento. Eles seriam tão corajosos? Eles realmente não tem medo do que a população é capaz de fazer?

Palavra de quem esteve literalmente presente nos piores dias das barcas nos últimos dois anos: já consigo sentir o cheio da gasolina e o som dos fósforos raspando nas suas caixas...

Twitcam, A Nova Onda do Imperador

É, eu dei uma sumida. Após minhas férias e recuperação da apendicite as coisas andam meio corridas... Os finais dos dias tem sido passados, normalmente, deitado no sofá e quase apagando. Mas continuo tentando entender as coisas novas que vem aparecendo por aí. A febre da vez é o Twitcam.

Para quem não conhece o Twitcam (o que parece ser raro hoje em dia), trata-se de um site integrado com o Twitter no qual um usuário deste compartilha sua webcam com o mundo. A tela é minúscula e com definição horrorosa, mas logo ao lado aparece um campo com os comentários (que são replicados no Twitter) de quem estiver assistindo à pessoa em questão. E na barra inferior do vídeo aparece um contador mostrando quantas pessoas estão assistindo a transmissão ao vivo. Além disso, é possível gravar suas transmissões para que ou outros possam vê-las depois.

Tudo isso é muito bacana. Excelente ferramenta de comunicação, permite que você faça um "videolog" com muito mais facilidade, mobilidade e liberdade que no YouTube, além de divulgar para listas monstruosas de seguidores no Twitter. Vi alguns jornalistas e famosos aleatórios (a maioria não tão famosos assim) realizando transmissões na Twitcam, o que é bacana, mantém o contato com os fãs ou com aqueles que se importam com suas opiniões e pensamentos. Admito, eu bem queria que caras como o Neil Gaiman e o Zakk Wylde, que são bastante ativos no Twitter, usassem o Twitcam de vez em quando.

Obviamente, não levou nem dez segundos para que começasse a sacanagem. Um exibicionista aqui, outra ali, atriz pornô mostrando making off de vídeo, webcam girl dando amostra de performance, casal swinger na tela para o mundo. Ok, admito, isso não é novidade, existe há mais de dez anos (sério, dez anos mesmo). Mas o que é novidade é que agora qualquer um pode ter uma câmera e acesso à internet, o que já dez anos era "exclusividade" de uma minoria avant-garde (para não dizer "nerd") ou de gente com razoável poder aquisitivo. Sem contar que as conexões ma-ra-vi-lho-sas que 33,6 Kbps da época não ajudavam nada. Imaginem só: tá rolando "aquele" striptease online de uma atriz pornô alemã e quando ela vai tirar o sutiã, a sua conexão cai e começa o barulho do modem rediscando (relembre aqui). Broxante, não?

Tá, ok, até aí tudo bem. Todo mundo que entra no Twitcam concorda com os termos do site, dizendo que tem mais de 18 anos. Nós sabemos que não é bem assim. Logo, assim como no Twitter, o Twitcam está infestado de menores de idade. O problema é que alguns deles, em particular meninas com idades entre 13 e 16 anos, não se satisfazem em manter transmissões regulares contando para o mundo qual é o ator da Globo favorito delas ou se vão sair no fim-de-semana pra festa da fulaninha. Os egos inflados pelas centenas de usuários que as assistem, elas vão "além" e realmente fazem shows para as pessoas, se exibindo, dançando de forma provocativa, mostrando roupas íntimas e até tirando a roupa.

Cara, quando se é maior de idade, tá valendo. Mas as garotas tem 14, 15 anos. Quem me conhece sabe que não sou puritano ou conservador, mas aí já estamos cruzando uma linha perigosa. O Twitcam está repleto de predadores que ficam de tocaia, esperando as exibições das menores de idade para então gravar as imagens e divulgar na internet. Ela acabou tornando-se não mais um ferramenta para melhor a comunicação, mas sim a pedofilia.

Daqui a pouco a Polícia Federal vai cair matando e algum espertinho do Ministério Público vai pedir o fechamento do site. Mais uma vez o instrumento será questionado e crucificado, não a vontade por trás do mesmo. É culpa do orkut ou do Twitcam este tipo de exibição que leva ao crime? Claro que não, é culpa da sociedade. Não haveriam vídeos de meninas de 14 anos fazendo striptease de madrugada se elas próprias não o fizessem, pois não são forçadas a nada!

Toda a culpa é desta nossa hipócrita sociedade predominantemente cristã e conservadora, que reprime os adolescentes e seus desejos naturais, levando-os naturalmente à subversão para contestar o poder constituído dos pais, os quais não delegam responsabilidades, meramente dão direitos temporários e depois os tiram como medidas punitivas.

Vamos sim pegar os pedófilos que encorajam este tipo de comportamento. Mas não devemos nos esquecer de também pegar os pais e mães negligentes que permitem que este tipo de coisa aconteça debaixo dos seus próprios narizes. A maioria de nós se surpreenderia ao ver que estes pais e seus filhos e filhas que fazem shows noturnos dentro de casa, são na verdade nossos vizinhos, colegas de trabalho e amigos.

6.8.10

Bootleg em Niterói

Aqui está uma boa pedida para os embalos de sábado à noite em Niterói. A experiente banda Bootleg tocará no Bar Itália amanhã, o show deve começar pontualmente às 20:00 hrs.

Não sei quanto a vocês, mas eu quero ir. Eles tocam músicas de autoria própria e vários clássicos do rock e blues de arrepiar. Segue abaixo o serviço e um clipe de tira-gosto:


Bar Itália
Praia de Charitas, 651, Niterói
Tel: 2619-8634


28.7.10

A Filha do Deus em Sião

Já vou explicar quem é essa garota na foto aí do lado. Cheguei a ela após ver um vídeo (muito engraçado) parodiando Star Wars.

A Clara estava aqui comigo e perguntou: "quem é essa garota com cara de panaca nos vídeos relacionados?" Cliquei. Pasmei. Algumas pessoas podem dizer que meu senso de humor é meio estranho, mas essa garota é demais.

Ela está no YouTube com o nick Daughter of God in Zion (daughterofgodinzion). Não consegui achar quaisquer referências sobre ela na internet, nem mesmo sobre a suposta seriedade dos seus posts, o que indica um trabalho bem feito - porque ela não é séria.

Sua premissa (ou da sua "personagem" é de que em Janeiro ela decidiu entrar no YouTube para pregar o Livro de Mórmon, pois viu muita sujeira e perversão no site. A partir daí ela passou a freneticamente publicar vídeo-respostas para os mais diversos vídeos no YouTube, sempre falando de forma semi-idiótica e pregando o cristianismo e o Livro de Mórmon. Ela também publica "covers" de músicas, mudando a letra de forma bisonha enquanto canta.

Os vídeos dela são curtos, malfeitos e idiotas. Mas o mais bizarro é ver a quantidade de gente que realmente acha que ela é séria e não uma aspirante a comediante ou atriz. Nas publicações mais recentes, o namorado da garota fica desfilando atrás dela vestindo apenas uma cueca boxer. E pouquíssimas pessoas conseguem entender a piada.

Virei fã.

24.7.10

O Cinemark de Niterói está descumprindo com a lei?

Eu realmente gostaria de entender isto. O Cinemark de Niterói (RJ), localizado no Plaza Shopping, está descumprindo de forma descarada com uma Lei Estadual? Ou a minha pesquisa na internet não foi boa o suficiente?

Já adianto que não adiantou enviar e-mails para lá. Posso até tentar falar com um amigo que trabalha no Cinemark Niterói, mas não quero colocá-lo em situação complicada. Acontece o seguinte:

Há mais de dois anos atrás, foi promulgada a Lei Estadual 5.331/2008. Ela diz o seguinte:

---

Art. 1º Ficam as salas de cinema obrigadas a numerarem suas cadeiras, informando ao consumidor, no momento da compra do ingresso, o assento que irá ocupar.

Parágrafo único. O número do assento adquirido deverá, obrigatoriamente, estar registrado no cupom de ingresso.

Art. 2º Os referidos estabelecimentos terão o prazo de 180 (cento e oitenta) dias, a contar da publicação desta Lei, para se adequarem às suas disposições.

Art. 3º Esta Lei entrará em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.

---

Já foi promulgada e o prazo de 180 dias já passou. Quem vai ao cinema na cidade do Rio de Janeiro sabe muito bem que agora todas as salas tem lugares numerados. Você pode comprar seu ingresso em casa pela internet, com toda a comodidade, e ainda escolher o lugar aonde sentará. Sensacional. Porém em Niterói esta opção ainda não está disponível.

Pensei com meus botões: será que existe alguma disposição que faça o Cinemark de Niterói ser diferente? Achei um Projeto de Lei (que ainda não foi promulgado) que diz o seguinte:

---

Art. 1º - O art. 1º da Lei nº 5.331 de 24 de novembro de 2008 passa a vigorar com a seguinte redação:

Art. 1º - Ficam as salas de cinema dos municípios do Estado do Rio de Janeiro com população igual ou superior a 300.000 (trezentos mil) habitantes, obrigadas a numerar suas cadeiras, informando ao consumidor, no momento da compra do ingresso, o assento que irá ocupar.

Art. 2º - Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

---

Justo. Mas mesmo que esta Lei seja aprovada, Niterói não se enquadra no benefício. De acordo com o as estimativas de população do IBGE em 2009, Niterói tem 479.384 habitantes.

E aí? É uma liminar na justiça? É cara-de-pau mesmo? Desrespeito com o consumidor? Já anuncio que até receber uma satisfação oficial do Cinemark Niterói (sim, eu já enviei mais de uma reclamação sobre o assunto para eles), não vou mais neste cinema. Prefiro me deslocar pro Rio de Janeiro com um ingresso numerado do que dar dinheiro para um empresário/dono de franquia que me desrespeita e desobedece à Lei.

23.7.10

Jogo Justo

Então, hoje é o tal dia do Jogo Justo no Twitter, que está tentando emplacar a hashtag #jogojusto nos TTs. Interessante a proposta, claro que eu apoio - tem muito interesse marketeiro da Walmart, mas se eles estão realmente ajudando na causa, não vejo mal nisso.

Porém, após ler o texto sobre como os jogos são ultra-mega-super taxados aqui, lembrei de algumas coisas. Primeiro, trabalhei por muito anos com importação de materiais e sei muito bem como funcionam estes procedimentos. O texto não mente, jogos realmente são taxados de forma abusiva.

Com isto em mente, quando estive em Junho na Inglaterra procurei em algumas lojas a nova expansão de The Sims 3: Ambições (a Clara adora jogar The Sims, deve ser o equivalente moderno a brincar de boneca). Fui a várias lojas e o preço era sempre o mesmo: £29,90. Com a Libra na época custando cerca de R$ 2,70 podemos concluir que o preço de lançamento do jogo era algo em torno de R$ 80,73.

Achei estranho, pois o jogo estava sendo vendido por R$ 80,00 no Brasil. Voltei pra cá, fui à Saraiva Megastore no centro do Rio e achei o mesmo jogo por R$ 69,90 - o tipo de promoção que apenas as lojas grandes podem fazer. Comprei o negócio pra Clara, satisfeito por ter pago menos do que pagaria na Inglaterra.

Aí veio esta conversa toda do Jogo Justo e pensei: como diabos consegui comprar o The Sims 3 Ambitions mais barato aqui? Pesquisei em sites ingleses, o preço atual do jogo é em média £25,90 (ou R$ 69,93), ou seja, continua praticamente o mesmo preço que eu paguei há mais de um mês atrás. Como seria possível que o preço deste jogo fosse o mesmo aqui e na Inglaterra, mesmo com todos os impostos de importação e custos adicionais?

Elementar, meus caros leitores. Basta ler na caixa do jogo os dizeres: Produzido no pólo industrial de Manaus. Ah tá.

Então não basta reduzir os impostos de importação. Será que a indústria local não se interessaria em produzir e distribuir mais jogos? Será que esta opção não ajudaria a gerar mais renda internamente, assim como eliminar desnecessários custos de logística e gerenciamento?

Não aos impostos abusivos. E sim ao fomento à indústria nacional. Assim todo mundo ganha com o Jogo Justo.

18.7.10

Nota Fiscal Paulista - Reembolso de 30% do ICMS pago

Gente, é verdade. Não é esquema, não é HOAX, parece incrível, mas é verdade. Meio atrasado devido aos eventos de saúde dos últimos dias, só pude verificar ontem, mas tenho um crédito de R$ 22,50 para recuperar - vou esperar mais alguns meses para ter mais de R$ 25,00. O texto abaixo foi recebido, na íntegra, por e-mail do meu amigo Flavio, acompanhado no título pelas letras garrafais dizendo que "NÃO É LENDA". E não é mesmo não.

---

Qualquer pessoa, mesmo que não seja residente no Estado de São Paulo, pode ter créditos a receber relativos ao ICMS de Notas Fiscais emitidas no estado de São Paulo:


Caso você tenha feito compras nos últimos anos pela internet de passagens aéreas, ou em lojas da internet que sediadas no estado, como Americanas.com, Submarino, etc, você tem direito ao reembolso de 30% do ICMS pago, basta fazer o seu cadastro e acessar o sistema:


O Programa Nota Fiscal Paulista devolve 30% do ICMS efetivamente recolhido pelo estabelecimento a seus consumidores. Ele é um incentivo para que os cidadãos que adquirem mercadorias exijam do estabelecimento comercial o documento fiscal. Os consumidores que informarem o seu CPF ou CNPJ no momento da compra poderão escolher como receber os créditos e ainda concorrerão a prêmios em dinheiro.

Você poderá utilizar seus creditos da seguinte forma

- Transferência para Outra Pessoa (Até R$ 25,00)
- Crédito em Conta Corrente (A partir de R$ 25,00)
- Crédito em Conta Poupança (A partir de R$ 25,00)
- Doação de Créditos para Entidades Sociais

Ao fazer a consulta do meu CPF por exemplo, para minha surpresa tinha saldo à minha disposição.

17.7.10

102 Fail

A Clara precisa do telefone da ótica aonde mandou fazer seus óculos novos. Ela não acha o recibo da ótica e liga para o 102:

- Rio de Janeiro. Niterói. Niterói. Niteróóóóói. Niterói. Ótica Liderança. Ótica Liderança. ÓTICA LIDERANÇA. Liderança. ÓTICA. LIDERANÇA. ÓTICA LIDERANÇA. LIDERANÇ...

Ok, já estava começando a parecer aquele trote clássico do "buttplugs". Sento ao computador, abro o Chrome e digito "ótica liderança avenida roberto silveira niterói".

- O telefone é 2611-xxxx.

Eles não atendem. Provavelmente já fecharam, pois hoje é sábado. E o 102? Fail completo. O Google ganha do 102 com pedra, papel ou tesoura - empates são contados como vitórias a favor da Google também.

Apendicite

Então, como dizem os americanos, shit happens. No meu caso antes cedo do que tarde.

Passei mal na madrugada de quarta para quinta-feira. Dor aguda na parte inferior direita do adbomen. Fui dormir, não sentia fome e passei o dia inteiro morgado esperando pra ver se a febre aparecia. E veio. E eu fui pro hospital.

Uma série de exames que incluíram tomografia computadorizada revelaram que era apendicite mesmo. Logo no iníciozinho, por isso não senti muita dor. Na quinta-feira de noite mesmo entrei na faca. Quero dizer, na videolaparoscopia.

O mais bizarro da recuperação são os pontos. Isso sim é que está doendo. Não posso fazer esforço, não posso fazer quase nada na verdade e ainda estou tomando um antibiótico caro. Pra piorar, esse lance de não fazer esforço? Vai exatamente até o fim das minhas férias. Quaisquer planos que eu poderia ter feito, foram por água abaixo.

O lado bom? Acabei de driblar a natureza. Aparentemente 7% das pessoas no mundo inteiro eventualmente em algum ponto de suas vidas desenvolvem apendicite. Sem tratamento, 99,9% destas pessoas morreriam.

Hoje em dia é raro alguém morrer de apendicite, mesmo que ela chegue a um estágio agudo, você opera, fica de molho e está bom. A minha matei logo no início, mas é interessante ver que a natureza tentou me matar e eu consegui me esquivar da sua mão tenebrosa graças à medicina.

O placar? Bart 1 x 0 Lady Death. Mas infelizmente este é um jogo que não tenho como ganhar.

13.7.10

Digam não às drogas

Os videos abaixo são um exemplo daquilo que acontece quando alguém usa drogas demais e tem acesso a um computador. Se isto não for prova suficiente de que o tráfico de drogas deva ser exterminado imediatamente, não sei o quê mais poderia.












Dia Mundial do Rock


Hoje, 13 de Julho, é o Dia Mundial do Rock. Para todo o blá blá blá acessem a wikipédia. Como já dizia o Dr. Sin em sua música "Futebol, Mulher e Rock n' Roll": "meu deus, como isso é bom!"

E é bom mesmo. Então é bastante difícil nesta semana pensar em um e não lembrar do outro. Eu mesmo estava pensando nos grandes astros da Copa do Mundo de Futebol e percebi o quão próximos do Rock eles estão.

Que tal a modelo oportunista Larissa Riquelme, que usou a copa para aparecer e vender sua imagem? Dançando, pulando, balançando os seios turbinados na frente das câmeras? O Mötley Crue cantou sobre isso no seu grande hit "Girls Girls Girls" em 1987:

Girls, Girls, Girls
Long legs and burgundy lips
Girls, Girls, Girls
Dancin' down on Sunset Strip
Girls, Girls, Girls
Red lips, fingertips

Melhor ainda é a referência ambígua e sutil para Bobbi Eden, a atriz pornô holandesa que prometeu sexo oral para todos seus seguidores do Twitter, caso a Holanda se sagrasse campeã do mundo. Para a tristeza dos seus fãs mais inocentes, a Fúria Espanhola (sem seios, esta) acabou com a festa dos holandeses. Mas a música "Deuce", do primeiro disco do Kiss, basicamente, faz menções claras a sexo oral ("deuce" era uma gíria nas ruas dos EUA para sexo oral a US$ 20):

Old Jim is workin' hard this year
(...)
Baby do the things he says to do

Baby, if you're feeling good
And baby if you're feeling nice
You know your man is workin' hard
He's worth a deuce

Sem falar que é bastante misógina também. Mas isto não vem ao caso.

A pièce de résistance é obviamente Paul, o Polvo. O molusco cefalópode conseguiu acertar todos os resultados desta copa. Todos. Chamou tanta atenção que agora a PETA está exigindo sua libertação nas águas do Mar Mediterrâneo. Aham, sei PETA. A gente liberta o Paul e logo em seguida ele contacta seus comparsas moluscóides videntes e psiônicos das profundezas dos oceanos para escravizar a humanidade com seus poderes psíquicos, né? Vocês bem que gostariam desta virada de mesa, mas podem voltar para as brigas com modelos e estilistas que Paul vai ficar onde está agora: bem vigiado por severos seguranças alemães.

Apesar da história do polvo ser a mais interessante da copa (inclusive mais interessante que a copa em si), sua música é meio... Triste. Não triste do tipo que faz alguém verter lágrimas. Bem, lembram dos Beatles? Então, saca o Ringo Starr, o cara que ninguém deixava escrever músicas? Um belo dia ele viaja para as ilhas do Mar Mediterrâneo de férias com a família. Lá, inspirado, escreve uma música sobre um jardinzinho submarino feito por um... Polvo. Talvez um antepassado do Paul (o polvo, não a morsa). Os outros caras da banda ficaram com tanta pena do Ringo que toparam colocar a música no disco. Até deixaram ele cantar, vejam que bacana. Tipo prêmio de consolação, já que a banda estava acabando? Não vamos nos deixar abalar, a música é bonitinha, mas é meio... Boba:

I'd like to be under the sea
In an octopus's garden in the shade
He'd let us in, knows where we've been
In his octopus's garden in the shade

Então a moral da história é: modelos siliconadas e atrizes pornô continuarão balançando os peitos, polvos continuarão fazendo seus jardins de pedra no fundo do oceano e adivinhando resultados de coisas que fogem ao entendimento humano. Assim como o Rock N' Roll continuará batendo forte dentro dos nossos corações, gritando nas nossas cabeças e pedindo espaço naquilo que chamamos de "alma". Porém todo o resto é efêmero e o Rock é eterno.

8.7.10

Promessa é dívida, Bobbi Eden

Um comentário do Henrique no post anterior ligou o "gatilho" para este post aqui. Ele lembrou muito bem de outra figuraça desta Copa, a atriz pornô holandesa Bobbi Eden, que prometeu sexo oral para todos seus seguidores no Twitter, caso a Holanda ganhe a Copa do Mundo.

A grande diferença entre a Bobbi Eden, Larissa Riquelme e o Paul o Polvo, é que os dois últimos até agora cumpriram com tudo o que prometeram. No caso da Bobbi isso será um pouco difícil. Vamos fazer as contas:

O tempo médio de ejaculação de um homem é variável, obviamente. Para sermos científicos, vamos considerar como tempo médio para tal cerca de 7,3 minutos. Numa felação, o estímulo para o homem é bem maior, o que normalmente o leva ao ápice mais rápido. Vamos considerar uma aceleração no processo de cerca de 30%, o que nos deixaria com um tempo médio de 5 minutos por felação (considerando-se a habilidade e experiência de uma profissional como a Bobbi Eden).

Digamos que ela precise de pelo menos 5 minutos de descanso entre cada felação. Isto a permitiria pagar 6 apostas por hora. Em um dia temos 24 horas, sendo pelo menos 10 destas horas destinadas ao sono, alimentação e higiene pessoal. Logo ela poderia pagar 6 x 14, um total de 84 apostas por dia.

Uma semana tem 7 dias, mas Domingo é o dia de descanso. Logo ela pode passar 6 dias pagando apostas, um total de 504 apostas por semana. Um ano tem 52 semanas, mas vamos descontar 4 semanas para a coitadinha descansar, chegando ao número absolutamente incrível de 24.192 felações em um ano. Com sua campanha, Bobbi Eden já está com 65.000 seguidores no Twitter. Para pagar aposta para esta gente toda, ela levaria 2 anos e 7 meses de trabalho árduo, com dois meses de férias e descanso semanal aos Domingos, como todo bom trabalhador merece. Li em algum lugar que ela inclusive recrutou umas três amigas para ajudar a pagar a aposta.

E não, eu estou estou seguindo a Bobbi Eden no Twitter.

7.7.10

Polvos e Peitos


Esta Copa do Mundo me surpreendeu. Não dentro de campo, pois desde o início eu disse que a Holanda era uma das favoritas (apesar de muita gente ter rido de mim e dito que era besteira). Na cara de vocês, seus bastardos. Muito provavelmente a Holanda será campeã do mundo pela primeira vez... Se o Polvo Vidente assim desejar.

É isso mesmo. A Copa do Mundo me surpreendeu pois as coisas mais interessantes estão acontecendo fora de campo. A primeira são os escândalos de arbitragem e a anuência patética da FIFA, que desacredita a organização, mas isto não é novidade.

Depois veio Paul, o Polvo Vidente, que até agora acertou todas, inclusive a improvável vitória da Espanha sobre a Alemanha hoje. Mas o mais interessante, na minha humilde opinião, não foi Paul mas sim uma modelo até então completamente desconhecida chamada Larissa Riquelme.

A moça era vista (e fotografada) por todos os lugares, balançando seus seios turbinados e torcendo fervorosamente pelo seu país, o guerreiro Paraguai. Eventualmente ela foi contratada para fazer campanha para uma operadora de telefone, tirando fotos enquanto torcia com poses sensuais e um celular Nokia E71 (igual ao meu!) dentro do decote. Então ela começou a alardear que se o Paraguai fosse campeão do mundo, tiraria a roupa e presentearia o mundo com sua bela nudez. Uau, que prêmio bão, sô!!!

Acontece que este lance dela de tirar a roupa não vem de hoje não. Já rolou antes. A menina, que é frenética para enviar novidades e comentários no Twitter (@Lari_Riquelme é o oficial) simplesmente soube se vender muito bem e rápido (ou ela ou seu empresário). Lembram daquela história de estar no lugar certo, na hora certa?

O nível de habilidade geral do futebol na África do Sul é medíocre e a FIFA devia dar um prêmio para Paul, o Polvo Vidente e para Larissa Riquelme, que salvaram a Copa.

6.7.10

Menos dois otários!

Sim, a foto ao lado é antiga, eu sou Grouxo Marxista. O nariz é de palhaço mas o charuto é um mini-quibe. Temos dois otários a menos no mundo, senhoras e senhores, e é graças à maravilha da Internet!

Entre o post de ontem e este post que vos escrevo, a internet se encarregou de espalhar automaticamente a notícia. Um programa enviou o post para o Twitter e o Facebook, lá várias pessoas o leram e um bom amigo e leitor aqui do Blog, o Pablo, percebeu que também poderia estar sendo passado para trás pela Oi.

O jovem Pablo, determinado a ver se na verdade também era Pato, ligou pra Oi e recebeu a confirmação de que onde ele mora teria direito ao serviço Velox de 4 MB.

Obrigado Pablo. Você, assim como eu, não é um simples usuário de internet. Agora, graças à livre comunicação da rede, compartilhamos informações e experiências com grande celeridade para nos tornarmos menos otários, menos patos, menos babacas e sermos menos usados por estas corporações pilantras.

Agora só falta a gente descobrir que empresas como a Oi são obrigadas legalmente a oferecerem serviços de Disque-Massagem e Tele-Cafuné. Isso sim seria supimpa.

5.7.10

Menos um otário?

Há anos eu tenho Velox, o serviço de banda larga da Oi. Quando me mudei para Niterói, a velocidade oferecida para o meu plano era de 1 MB, sendo o máximo de 2 MB não disponível aqui na área.

Aí recentemente ouvi falar de pessoas aqui de perto instalando Velox 8 MB e 16 MB. Não era possível. Por quê diabos eu continuava com minha conexão de 1 MB?

Liguei hoje pra Oi para resolver uma série de problemas e mencionei que o meu plano Conta Total 2 estava defasado, pois agora a configuração mínima do plano, pelo mesmo valor que eu pago normalmente, continha um plano de banda larga de 8 MB de velocidade. Aberto o chamado, a atendente verificou que meu modelo de modem era compatível com a velocidade maior e disse que em até 72 horas ocorreria a mudança no serviço.

Ok. Duas horas depois estou com 8 MB de velocidade.

Uma dádiva dos céus? Sorte incrível? Benevolência da Oi?

Não. O otário aqui foi quem levou meses para tomar vergonha na cara e deixar de ser enganado. A Oi disponibilizava tais serviços há meses, mas se você não reclamar, eles te mantém no escuro, confortável com o serviço obsoleto.

Uma dica para todo mundo que mora no Estado do Rio de Janeiro e usa serviço da Oi? Verifiquem se seus direitos estão sendo atendidos. Abram chamados de atendimento e deixem de ser otários, como eu.

27.6.10

Nerds


Nesta época de Copa do Mundo é muito comum começar a ouvir as pessoas reclamando. De tudo. Não digo que eu não goste de futebol, da bagunça de cores e nações que um evento desta magnitude abriga. Eu adoro futebol, sempre gostei do esporte - porém existe uma diferença abissal entre gostar de algo e ser bom naquilo.

Tá, quem me conhece sabe que sou nerd. Curto Star Wars desde criança, jogo RPG com frequência há mais de dezesseis anos, ouço músicas consideradas anti-convencionais para a maioria das pessoas. Entretanto sempre tive uma vida socialmente bastante ativa, da qual sempre gostei muito.

Tudo bem que eu tive uma adolescência marcada por constantes conflitos na escola, que era composta por 95,00% de gente completamente babaca e escrota (a estatística é bastante precisa, pois dentre os 400 alunos da minha série, apenas salvavam-se cerca de 20). Aliás, esta maioria avassaladora que estudou comigo continua do mesmo jeito hoje em dia - medíocre e desprovida de visão.

Não digo que eu não seja medíocre ou míope, mas pelo menos tento não ser. Jogo RPG aos Domingos, vejo jogos de futebol e me empolgo com eles, bebo cerveja com meus amigos, ouço metal, faço pizza em casa porque acho mais legal do que comer na rua, coloco minhas idéias no "papel", não me envergonho do fato de que meu gosto musical está regredindo cada vez mais para os anos 60, toco numa banda de rock e tenho uma linda esposa que me apóia e me acompanha nestas empreitadas e quaisquer outras maluquices da vida.

O "desmotivador" acima tem toda a razão. Nós, nerds, às vezes acertamos sim.

22.6.10

Nem Morto (mais uma vez!)


Estou postando mais uma vez sobre o Nem Morto aqui. Para quem perdeu, é uma tirinha que há mais de 8 anos atrás eu comecei a escrever para o Leo Finocchi desenhar, mas o projeto se perdeu no tempo e agora o Leo decidiu desenterrá-lo. A princípio ele ia escrever ou modificar todo o material, mas o que tem saído é uma mescla bastante forte do material novo dele com as piadas antigas que eu escrevi. Então peço humildemente, confiram o site, prestigiem a arte do Leo e se possível ajudem a divulgar (isso, claro, quem gostar de piadas de zumbis ou humor bizarro em geral).

E se eu consigo pensar como o Leo Finocchi (tirando o fato que eu sou "normal" e ele parece com um wookie), asseguro que a melhor parte ainda nem chegou.

Clique aqui para ser redirecionado para a página do Nem Morto.

20.6.10

Adieu Les Bleus

O técnico da França, Raymond Domenech, disse ontem sobre o afastamento do atacante Anelka do time, após uma briga com o próprio: "Sinto muito pelas crianças para as quais o time Francês representa algo."

Então quer dizer que eles TEM o direito de se classificar para a Copa do Mundo com um gol ilegal e jogo sujo?

Isto é o que o atual time Francês representa para as crianças. Espero que a França retorne para casa coberta de vergonha e sob vaias.

14.6.10

O cinema da vida real

Sim, eu sei que algumas pessoas estão esperando notícias completas sobre a viagem. Como foi algo mais a trabalho e as únicas horas que tive disponíveis para conhecer a cidade eram as noturnas, decidi escrever um roteiro dos pubs e cervejas que conheci. Mas não é sobre isso que falo hoje e sim sobre uma das experiências mais surreais da minha vida, que até o momento apenas compartilhei com a Clara.

Sexta-feira fui no pub The Porterhouse da Maiden Lane em Covent Garden com a Wendy (uma amiga daqui que está morando lá), beber as excelentes cervejas feitas pela casa e torcer contra a França (é, tipo isso sim, eu guardo mágoas pelo que aconteceu com os irlandeses). Após o jogo andei com a Wendy até perto da casa dela, entrei no metrô e peguei a linha até a Victoria Station, onde fiz transferência para a linha Circle, que me deixaria na estação de High Street Kensington, a mais próxima do hotel.

Já era perto da meia noite. Estava sentado no trem, cansado e querendo uma cama quentinha, já que o dia seguinte seria passado dentro de aviões. Entram no meu vagão três homens com tipo europeu, alegres e comemorando algo junto uma garota meio asiática de origem completamente indistinta. Dentre eles, dois eram uns brutamontes enormes, do tipo com o qual você não quer arrumar briga num estádio de futebol.

Ate aí tudo bem, mas a garota começa a tirar sapatos da bolsa dela e entregar para os homens, que trocam os calçados imediatamente. Então eles viram suas camisas e suéters pelo avesso, para revelar roupas de cores completamente diferentes e as vestem por dentro das calças. De um estilo completamente informal, de repente estão todos vestidos como se estivessem indo para uma festa.

Os quatro comemoram alguma coisa, celebram, estão felizes e com a adrenalina a 100%. O mais baixo dos três homens, que parece ser o líder do grupo, dando ordens a torto e a direito, beixa a garota e fala algo com ela. Eles começam a conversar entre si e infelizmente eu presto atenção em algumas das palavras. "Da... Nyet..."

"Caralho" eu pensei. "Eles são russos, fodeu. Fodeu, fodeu, fodeu" era tudo o que eu conseguia pensar. Para quem não sabe, a Inglaterra, em particular a região de Londres, tem um sério problema com a máfia russa. Saquei que não podia deixar que eles percebessem que eu entendi quem eles eram. Ou o que eles provavelmente tinham feito. Comecei a olhar para um ponto fixo com régia determinação.

Passou a estação de Gloucester Road. Em seguida alguns dos minutos mais longos da minha vida e cheguei a High Street Kensington, a minha estação. Me levanto sem olhar para eles mas percebo que saltam atrás de mim. Ando em direção à única saída da estação e penso em procurar um segurança para avisar que algo estranho estava acontecendo, mas antes olho para trás - ninguém havia me seguido. Olho para todos os lados e não acho nenhum segurança ou guarda (talvez eles confiem demais no sistema de câmeras).

Em seguida foram 10 minutos de caminhada desabalada em direção ao hotel. Vi três viaturas correndo velozmente pelas ruas, mas o que poderia fazer? Mesmo se tivesse conseguido parar uma das viaturas, provavelmente perderia toda a minha noite fazendo um boletim de ocorrência ou algo do tipo, perderia meu vôo e talvez arrumasse uma bela enrascada no futuro.

Então fui pro hotel, terminei de arrumar minha mala e dormi. Provavelmente nunca saberei se eles realmente eram mafiosos russos fugindo de uma cena de crime, mas com certeza certas cenas do cinema, ao vivo, não são tão legais assim.

5.6.10

Por favor deixe sua mensagem após o sinal

Ficarei fora por alguns dias, postagens no blog provavelmente serão raras porque a Wi-Fi do hotel é apenas no lobby principal. Tweets também devem ser esporádicos porque a Oi não quis me informar as tarifas para utilização de 3G na Inglaterra.

Enquanto estou fora, visitem o site da candidatura do Grande Cthulhu à presidência do Brasil, clicando aqui. Deixem suas perguntas para o Todo-Tentaculoso nos comentários do site que elas serão devidamente respondidas pelo Grande Antigo que descansa morto em R'Lyeh, aguardando o dia no qual devorará toda a humanidade, espalhando destruição, morte, insanidade e uma nova política de ensino público onde os professores serão mais valorizados (os alunos serão devorados primeiro e os mestres depois).

3.6.10

O Estorvo

Estava pensando agora, tenho um texto que nunca foi publicado aqui e pelo qual sinto grande afeição. "O Estorvo" foi escrito lá nos meados de 2001 e foi publicado em 2003, após ficar em terceiro lugar no 1º Concurso Municipal de Conto da Prefeitura de Niterói. Segue abaixo, caso interesse a alguém:


O Estorvo
3º colocado no I Concurso Municipal de Conto (categoria Adulto)
Prêmio Prefeitura de Niterói/ UNIPLI
publicado na coletânea “I Concurso Municipal de Conto”, Niterói Livros, 2003


Ao completar quarenta anos, ele se levantou da cama pronto para mais um dia. Foi ao banheiro, tomou um banho rápido e barbeou-se grosseiramente, ganhando uma pequena cicatriz no rosto já marcado pelos anos. Vestiu seu melhor terno e, como de costume, comeu apenas duas torradas de café-da-manhã. Bebeu rapidamente uma xícara de café feito no dia anterior, pegou sua maleta e saiu de casa, ignorando o jornal deixado sob o batente da porta pelo entregador.

O primeiro grande desafio do seu dia-a-dia era entrar no elevador e apertar o pequeno botão com a letra "p". A partir desse momento, ele já não teria mais coragem de voltar para casa e esconder-se do resto do mundo, que seria um lugar perigoso, em sua opinião. Cheio de criaturas indiferentes à sua existência. Não havia uma pessoa que se importasse com ele. Os pais, que eram os únicos parentes, haviam morrido há quase dez anos, de "velhice" mesmo. Ele nunca se casou. Não por desacreditar do amor, mas por achar que mulher alguma seria capaz de amá-lo. Amigos, jamais os teve, pois acreditava que estes seriam rápidos a se tornarem seus inimigos.

Após passar pelo porteiro do prédio com o habitual "bom dia", se dirigiu à estação do metrô, que era convenientemente perto dali. Desdeu a escada rolante e logo já estava à beira dos trilhos, esperando de pé a sua condução diária para o trabalho. E enquanto olhava para os trilhos eletrificados, crescia dentro dele a idéia de se jogar neles, terminando assim a sua miserável vida. Ninguém sentiria sua falta, ninguém. Seria uma morte rápida, indolor talvez.

Deu um passo à frente e se inclinou, quando veio à sua mente o pensamento de que se ele se matasse logo ali, eletrificado e transformado em carvão, a estação de metrô seria interditada pela polícia até que o rabecão viesse buscar seu corpo. Isso atrasaria muita gente, que não conseguiria chegar no trabalho na hora. Não, morrer desse jeito atrapalharia a vida de muita gente, ele não tinha o direito de fazer isso, seria um incômodo muito grande.

Entrou no trem e sentou-se. Quatro estações depois, chegou ao seu destino. Em poucos instantes, já se via andando nas ruas do centro da cidade. Ele odiava ter que olhar todos os dias aquela enorme massa de gente indo e vindo, como um monte de formigas. Parou no sinal de trânsito, esperando a luzinha verde aparecer para atravessar a movimentada avenida. Logo percebeu a impressionante velocidade com a qual os ônibus passavam à sua frente, desabalados em seus rígidos horários. Talvez se ele se jogasse ali... Não, não. Isso não seria justo com os passageiros ou com o motorista do ônibus. E se alguma criança estivesse lá dentro? Haveria problemas para todos, isso não seria adequado.

Chegou à portaria do prédio onde funcionava a sua empresa. Era uma dessas grandes multinacionais que contratam milhares de pessoas pelo país afora, e ele era apenas mais um número para a gigante onde trabalhava. Mostrou seu crachá para o parrudo segurança e logo chegou a mais um elevador; só que desta vez, ele apenas dizia um desanimado "vigésimo" e um ascensorista de idade avançada apertava o botão onde se lia “vinte”. Ao sair, se deparou com o "Setor de Contabilidade" escrito numa placa. Ela indicava que ele estava no lugar certo, e ao mesmo tempo no lugar errado, afinal de contas ele preferia estar em casa se escondendo.

Após passar por duas recepcionistas e três mesas de secretárias, chegou ao seu escritório. Bem, talvez esta seja uma palavra forte demais para algo que se parecia com uma saleta de almoxarifado. Destrancou-a e entrou, esquivando-se das caixas cheias de papéis inúteis. Sentou-se em sua cadeira, colocou a pesada maleta na mesa e suspirou. Enquanto olhava à sua volta, pensou no quão deprimente era o lugar onde ele passava seus dias, envolto em números e contas. Virou a cadeira e puxando um cordão abriu a persiana que escondia uma janela suja. Lá embaixo, podia ver tudo aquilo com o qual tinha se deparado no caminho para o trabalho: a estação do metrô, as formigas andando, os ônibus, as ruas de escaldante concreto.

Pensou então em se jogar da janela. Sim, seria rápido e indolor. Ele tinha lido em algum lugar que os suicidas que pulam de prédios muito altos desmaiam durante a queda, desfalecendo antes de se espatifarem no chão. Isso logo o levou a pensar o porquê dos paraquedistas não terem o mesmo final trágico toda vez que pulam de um avião. Concluiu que eles, tendo treinamento especial, não desmaiam. Abriu a janela e, decidido, olhou para baixo. Ao ver as pessoas andando na calçada, recuou e fechou novamente a janela. Lembrou-se de que sua queda poderia acidentalmente matar uma pessoa. Ele não gostou nem um pouco da idéia de tirar a vida de um inocente, sem contar o estrago que seu corpo faria na calçada.

Novamente sentou na cadeira e voltou-se para a mesa cheia de papéis. Era um funcionário apenas mediano, não se destacava nem atrapalhava o serviço. Cumpria prazos e acatava ordens. Essa era sua vida, um ponto sem interrogação nem exclamação. Foi então que tomado por incomum determinação, abriu sua maleta e sacou de dentro dela uma caixa de madeira. Com muito cuidado, retirou a tampa e lá dentro estava a arma de seu falecido pai, que era militar.

Não entendia muito de assuntos bélicos, mas sabia fazer a manutenção do Colt calibre 45, que era o tesouro do pai. O revólver foi presentar de um amigo norte-americano, falecido também há anos. Cautelosamente colocou as seis balas na arma, fechou-a e engatilhou-a. Agora sim. Um tiro na cabeça seria um final muito adequado à sua existência de importância irrelevante. Estava totalmente livre de quaisquer amarras ou dilemas morais. Talvez o seu suicídio desse algum problema à faxineira da empresa, mas não seria nada que um pano com desinfetante não pudesse resolver.

Quando já apoiava o cano do revólver contra a testa, ouviu o som rangido da maçaneta da porta sendo aberta. Com um movimento rápido, escondeu a arma debaixo da mesa e longe dos olhos de quem entrasse. Logo apareceu a figura do diretor de contabilidade, que jogando uma pasta cheia de papéis com número na mesa disse: "Eu preciso desses balanços para hoje, Moreira."

Para hoje. Ainda hoje. Sim, ele teria que terminar o balanços, não poderia se matar hoje. Talvez amanhã, mas se ele se matasse hoje seria um estorvo.

29.5.10

Christina Hendricks, a mulher mais sexy do mundo

Senhoras e senhores, a revista Esquire tem feito pesquisas para escolher as mulheres mais sexy do mundo. Uma destas foi a atriz (praticamente desconhecida no Brasil) Christina Hendricks, que agora está fazendo bastante sucesso com a série "Mad Men".

Vejam esta foto da Sra. Hendricks:




Um espetáculo, não é? Não se preocupem que eu não vou apanhar, minha esposa concorda plenamente comigo (afinal de contas, ela é mulher e teria votado na Sra. Hendricks também). Eu disse "senhora", certo? Isso porque no ano passado ela se casou. Com um ator de diminuta expressão chamado Geoffrey Arend:




Nerds, geeks, esquisitos e estranhos de todo o mundo: não percam as esperanças. Jamais desistam, não deixem que o mundo os mude. Não invejem seu semelhante. Se aconteceu com o bom Geoffrey, pode acontecer com vocês também. Tenham fé.

Gatos para adoção (Anusha, Vini e Tom)


Este blog daqui a pouco vira um centro para adoção de gatos... O que não seria má idéia. :P Segue abaixo a mensagem de uma amiga minha sobre alguns gatinhos que passaram por maus bocados e felizmente encontraram gente de boa vontade que os ajudou quando mais precisaram:

A Anusha (1ª foto), o Vini (2ª foto) e o Tom (3ª foto) são gatinhos de aproximadamente 9 meses e têm uma história difícil. Eles viviam no telhado de uma oficina na Tijuca em condições precárias e quando filhotes caíram do telhado. Uma pessoa que mora perto acolheu esses gatinhos, mas pelo fato de não ter condição de oferecer uma qualidade de vida melhor para eles ela precisa doá-los e portanto, estou divulgando a fotos desses lindos gatinhos para que alguém possa dar uma nova e melhor condição de vida para eles.

Os gatinhos serão entregues vacinados, vermifugados, com exame de sangue e também, castrados.

Quem quiser adotá-los ou tiver um conhecido que queira um gatinho, peço que entre em contato com:

Gleice - Tel: (21) 8522-4084

28.5.10

One Book, One Twitter


Hoje foi o início de uma experiência chamada "One Book, One Twitter", para ajudar a estimular a leitura e discussão de obras literárias. Trata-se de uma troca de tweets no estilo "perguntas e respostas" diretamente com os autores através do Twitter. Por felicidade do destinho, o primeiro escolhido para este projeto foi um dos meus favoritos, Neil Gaiman! E para melhorar, o livro em discussão seria o "Deuses Americanos" (American Gods), um dos meus favoritos!

Não titubeei e mandei a seguinte pergunta: @neilhimself Is there an specific myth/deity which you regret leaving out of the book? #1b1tNG
(Há algum mito/divindade específica que você se arrepende de ter deixado de fora do livro?)

ELE RESPONDEU!!!

A resposta foi: @bartrabelo So many. But books have finite words & pages. Was sad the Japanese section and the Jewish section were both not-written #1b1tNG
(Tantas. Mas livros tem palavras e páginas finita. Foi triste que a seção Japonesa e a seção Judia não tenham sido escritas.)

Plano de dados 3G? R$ 60.
Smartphone com aplicativo para o Twitter? R$ 1000 (em 10x).

Ter "aquela" pergunta que você sempre quis fazer a um dos seus ídolos respondida? Não tem preço...

27.5.10

Novo Site

Na verdade é a mesma coisa velha, com uma cara nova. Há alguns posts atrás eu expliquei o suplício pelo qual passei quando o Blogger decidiu mudar as regras do jogo. Me vi numa encruzilhada: meu domínio, bartrabelo.com, não poderia ser usado como redirecionamento pois todos meus arquivos dos outros sites de gerencio, inclusive o da Velvet Ballet fazem uso do DNS do meu servidor. O blog virou isto aqui, o bartrabelo.blogspot.com, mas o que eu faria com o meu domínio?

Recentemente meu celular morreu e decidi assinar um plano 3G da minha operadora e comprar junto um Nokia E71, que saiu praticamente de graça. O uso do meu novo smartphone me deu mais empolgação para voltar a usar o twitter e outras coisas, então decidi que me site deveria ser uma espécie de "mini-portal", com informações sobre os posts do meu blog, minhas atualizações no twitter, meus links favoritos e etc.

Acessem o site clicando aqui: www.bartrabelo.com. Ainda estou tentando acertar um problema com as fontes, o maldito Internet Explorer insiste em ser diferente dos browsers de verdade (Firefox e Chrome), o que é uma dor-de-cabeça sempre (e eu não sou webdesigner).

Lost, Flashing Forward

Não se preocupem, não há spoilers neste post.

Eu via Lost. Acompanhava com ardor os episódios semanalmente. Nunca liguei muito para as teorias da internet, fóruns e terceiros, preferindo ater-me às minhas próprias interpretações sobre a série.

Fechada a porteira, achei interessante ler duas resenhas sobre o fim da série. A primeira é um amigo pessoal, Rafael Savastano, e pode ser encontrada clicando aqui. A segundo é de uma colunista d'O Globo chamada Claudia Croitor, e pode se encontrada aqui.

Ambas as resenhas são imensos spoilers e recomendo a leitura das duas, especialmente por serem completamente antagônicas.

A minha opinião é de que eu entendo o que os produtores quiseram fazer, ou pretenderam fazer com a série, mas acho que rolou uma preguiça forte aí. Vários episódios da 4ª, 5ª e 6ª temporada poderiam ter sido usados para explicar uma série de coisas e mistérios da ilha, mas ao invés disso ficaram ali, parados e enchendo linguiça.

Lost continuará sendo um marco na história da televisão e ainda vai dar muito pano pra manga. E infelizmente a excelente série "FlashForward", a qual eu estava adorando e rapidamente se tornou uma das minhas séries favoritas para se assistir, foi cancelada pelo canal ABC, devido aos baixos índices de audiência nos EUA ("só" cerca de 5 milhões de espectadores por noite), mesmo a série tendo excelentes índices na Europa e no Brasil.

Fazer o quê, algumas coisas realmente não temos como explicar... Seja o fim de Lost ou de FlashForward.

25.5.10

Nem Morto


Como o meu amigo Leo Finocchi resumiu muito bem, "O que aconteceria se alguém morresse, voltasse como zumbi e quisesse retornar a sua vida normal antes da morte?"

Anos atrás o Leo (que é um talentoso artista) pediu que eu o ajudasse a criar uma tirinha de quadrinhos. Aí eu bolei este personagem, que na época se chamava "Zé Zumbi". A premissa básica era essa mesma: o quê aconteceria se um cara completamente ordinário virasse um morto-vivo comedor de cérebros e ao mesmo tempo tentasse retomar seu cotidiano, amizades, emprego e tudo o mais? Como uma namorada reagiria a isso? Morto tem direito a plano de saúde?

O projeto foi arquivado por muito tempo mas agora o Leo deu uma repaginada total e o rebatizou de "Nem Morto"! Eu não estou escrevendo mais para a tirinha, mas como confio 100% no senso de humor dele, recomendo que todo mundo acompanhe a história, muitas supresas estão por vir para este pobre zumbi, tentando sobremorrer num mundo globalizado...

Clique aqui para ser redirecionado para a página do Nem Morto.

19.5.10

Mais um oportunista

A foto ao lado é do Sr. André Forastieri, que diz que é jornalista e é blogueiro, como este que vos escreve. Foi achada usando o mecanismo de busca do Google. Acontece.

O referido senhor acima deu, anteontem, prosseguimento a uma tradição de outros jornalistas brasileiros: a de tentar aparecer quando um ícone do metal falece. Um dos casos mais notórios foi o do Sr. Arnaldo Jabor, que à época do assassinato do Dimebag Darrell, guitarrista do Pantera, tentou esculhambar o metal e jogar a culpa do triste e trágico incidente no próprio músico.

Agora é a vez do tal Forastieri tentar difamar a imagem do recém-falecido Ronnie James Dio, consequentemente do metal também, de diversas formas neste bloguinho aqui.

Citando o texto oportunista do tal cara cuja existência era completamente desconhecida por mim até hoje: "Agora, tem sentido um roqueiro de 67 anos que canta sobre o eterno combate entre o bem e o mal, em canções repletas de dragões assustadores, cavernas assombradas, magos impolutos etc.?"

Minha única resposta para este cara está numa letra do próprio Dio, que segue abaixo com o original em inglês e tradução:

It's the same old song
You've gotta be somewhere at sometime
They never let you fly

It's like broken glass
You get cut before you see it
So open up your eyes

É a mesma e velha canção
Toda hora você tem algum lugar para estar
Eles nunca te deixam voar

É como vidro partido
Você se corta antes de vê-lo
Então abra seus olhos

Carta aberta a André Forastieri: você não me corta e não me impede de voar. Você não é completamente irrelevante para mim e para toda a legião de fãs do metal e de seu grande e lendário arauto, Ronnie James Dio, então recolha-se à sua insignificância e volte ao seu mundinho restrito.

16.5.10

LUTO

Hoje morreu Ronald James Padavona, um dos maiores artistas de todos os tempos. Não consigo dizer nada além disso.


9.5.10

Eca, kefir!

Meu nome é Bart e eu gosto de brócolis e quiabo desde criança. Mas depois que cheguei à idade adulta admito que meus hábitos alimentares viraram os piores possíveis. Aqui está uma dica para quem quiser adicionar um pouco de qualidade ao seu dia-a-dia.

Há não mais do que duas semanas atrás a Clara trouxe para casa esse tal de "kefir", chamando de "bichinho", "coisinha" e outros adjetivos do gênero. Ela disse que era uma colônia que "comia" leite e o subproduto era uma espécie de iogurte, porém mais saudável.

Ok, eu imaginei pequenos vermezinhos se remexendo para beber leite e cagar iogurte. Admita, você também imaginou algo tão nojento quanto eu. Aí a Clara decidiu explicar de uma forma mais "clara" (pun intended).

O kefir é uma colônia de lactobacilos e leveduras, como aquelas que se encontram em coisas tão comuns e normais para nós, tais pães, vinhos, cervejas e iogurte convencional. Esta colônia processa qualquer tipo de leite, quebrando e sintetizando enzimas para produzir este tipo especial de iogurte, que é muito mais saudável que o convencional. Para isso basta deixar o kefir num pote com o leite e depois filtrá-lo com uma peneira fina. O que fica é o iogurte.

Eu provei. Realmente é muito bom, muito melhor do que o iogurte tradicional. E o mais bacana? De graça. Ninguém vai achar kefir à venda em mercados, o grande lance é que as pessoas cultivam a colônia e ela vai aumentando até que a doação de parte dela é inevitável, levando a idéia adiante para mais pessoas ainda.

O kefir tem propriedades anti-oxidantes no organismo humano e também ajuda a quebrar o ácido lático. Suspeita-se que ele possa ajudar no controle da hipertensão e dos níveis de colesterol, mas isso ainda está sendo estudado. Ele também é gostoso pra danar.

Em breve a Clara vai postar no Batatas Na Cozinha um roteiro sobre como criar kefir em casa e algumas receitas legais. Por mim basta temperar um pouco e botar na torrada que já é um lanche rápido, saudável (dependendo do pão usado, claro) e excelente.

6.5.10

Nova Fase no Blog

Então, mais uma vez meu blog passa por profundas mudanças, como antes desencadeada por algo excepcional. Recordar é viver:

1ª fase: Blogger da Globo (Set/02 a Fev/05)

Era uma época estranha. Acho que o mais bizarro era a qualidade horrorosa dos posts. Hoje em dias as pessoas que queriam fazer testes idiotas e compartilhar pensamentos superficiais e bobocas com o mundo usam o Twitter, Orkut, Facebook ou outras redes sociais mundo afora. Naquela época você precisava de um blog para isso. Até que tudo ia razoavelmente bem, mas a Globo decidiu limitar as funções do Blogger apenas para quem era cliente da Globo.com e várias outras babaquices (típicas), então decidi que era hora de mudar.

2ª fase: Blogger/Blogspot por FTP (Mar/05 a Abr/10)

Foi quando assinei um webspace, pois tinha vários projetos em mentes, como podcasts, sem contar que eu precisava de um espaço para backup de fácil acesso. Eu já tinha o domínio bartrabelo.com há algum tempo, juntei o útil ao agradável. Por todo este longevo período que durou mais de cinco anos minhas postagens no meu blog e todos os outros sites que criei eram facilmente gerenciáveis pelo Blogger/Blogspot com upload por FTP (lento, porém confiável). O mundo ia bem e a vida era bela, até que a Google decidiu encerrar o suporte ao FTP.

3ª fase: Blogger/Blogspot (Mai/10 até...?)

Imediatamente pesquisei outros serviços similares aos Blogger, mas basicamente todos são a mesma coisa. Quebrei a cabeça, mas não tinha jeito - eventualmente aceitei o inevitável. Meu único erro foi acreditar que a ferramenta de migração da Google faria a transição sem problemas e de forma amigável e suave, como eles prometiam. Ledo engano, foram dias de dores-de-cabeça para conseguir transformar novamente o meu site em algo que me satisfizesse. Sugestão pessoal? Sempre façam tais migrações de forma manual, mantenham backup de tudo. Tudo tudo tudo, cada arquivo, cada gif, tudo.

Enfim, não tenho mais links. Depois quando tiver mais tempo preparo uma página "memorial" ao meu antigo blog com meus links antigos e disponibilizo aqui.

P.S.: desnecessário dizer que um dos maiores problemas foi manter os meus seguidores do Google Friend Connect, né? Cuidado quando alguém disse que é moleza, provavelmente a verdade é diametralmente oposta.