28.3.05

Às vezes o descanso pode acabar cansando

Meu fim-de-semana foi assim. Achei que ia relaxar, que tudo estaria numa boa, mas aí a Lei de Murphy vem e pimba! Tudo começa a desmoronar. Como de costume, não vou escrever no estilo "meu querido diário", mas ofereço aqui algumas pérolas, pequenos trechos de um feriado bastante turbulento:


Sexta-feira de manhã, em casa

Estou no quarto, tocando guitarra, e ouço um barulho estranho vindo da cozinha. Abro a porta, e tudo parece normal. Quando chego na área, ao lado da cozinha, vejo que um balde caiu de algum lugar. Provavelmente foi do terraço do meu prédio, que tem apenas dois andares, mas por alguns instantes lembrei dos meus queridos amigos que estavam, a essa altura do campeonato, praticando nosso esporte predileto em Itaipava: Bucket Kicking à distância. Um esporte fino, para jovens cavalheiros e damas de alto nível social.


Sábado à tarde, em Rio das Ostras, churrasco-aniversário da Myriam

Mesa redonda com os amigos, um ilustre desconhecido (o qual eu conheço de outras praças, mas nem me interessa lembrar o nome do indivíduo) se mete no meio da nossa conversa sobre futebol inglês e europeu em geral, soltando o seguinte petardo:

- O time da Inglaterra é muito ruim.
- Não concordo... O time inglês é muito bom. Tem dois dos melhores atacantes do mundo, laterais bons, meio campistas criativos, uma ótima dupla de zaga e o goleiro não é mais pipoqueiro.
- Ah, mas aquele Beckham é muito ruim.
- E quem disse que a Inglaterra só tem o Beckham? Você já ouviu falar no Owen, Rooney, Cole, Terry, Campbell, Ferdinand, e o goleiro não é mais um pipoqueiro...
- Mas o Brasil tem jogadores para montar até três times em condições de ser campeão mundial.
- Eu não estou dizendo que o Brasil é ruim. Estou dizendo que a Inglaterra tem um time bom.
- Mas o Brasil tem um time muito melhor, com Ronaldinho, Roberto Carlos, Cafu...
- Mas isso não quer dizer que a Inglaterra seja ruim, e sim que o Brasil é bom.
- O Brasil é bem melhor que esse timinho da Inglaterra.
- Eu não discuto que o Brasil seja o melhor time do mundo, mas você disse que a Inglaterra tem um time ruim.
- Ah, eu não disse isso.
- Disse sim. Você disse que o time da Inglaterra é ruim.
- Não, eu disse que o Brasil tem um time bom

Foi mais ou menos isso. Encerrei a discussão, pois aparentemente os dois neurônios do rapaz entraram em conflito, e eu sempre paro de falar quando alguma situação da minha vida começa a se parecer com um esquete do Monty Python. É mais seguro assim.


Sábado à noite, na van, voltando pra casa

Eu entro na van, no banco da frente, lado do carona. Procuro o fecho para o cinto de segurança, até perceber que o mesmo está quebrado. O motorista então se vira pra mim e fala, com um sotaque carregadíssimo:

- Don't worry, you are in good hands.
- ...
- Don't worry. I am from Fortaleza. Where are you from?
- I'm from Rio.
- Rio de Janeiro?
- É.
- Você é crente?
- Não.
- Mas você parece ser um bom rapaz.
- Obrigado.

Olho do lado de fora da janela, e uns marginais estão pichando um muro. Eis que eu solto:

- Bando de sacanas. Vândalos. Não me conformo com isso...
- Ah, com o quê, meu filho?
- Com esses vândalos. Pichadores.
- Eles não tem Cristo no coração. Você é um bom rapaz, teve uma boa criação, isso dá para perceber.
- Na verdade, eu acho que eles não tiveram uma oportunidade... Cresceram na marginalidade, e continuam nela.
- Mas sem Cristo no coração. Você é cristão?
- Não.
- Você não ia descer nesse próximo ponto?
- Não, vou saltar no próximo.

Silêncio mortal...

- Pronto, pode saltar aí.

É, eu fui praticamente expulso da van.


Domingo de manhã, me mudei para o apartamento do lado

Realmente, isso não é algo que se lê todo dia. Está acontecendo uma grande obra no meu prédio, e me perguntaram se eu me incomodaria de me mudar para o apartamento vizinho. Achei o espaço simpático, e topei. Uns rapazes chegaram lá em casa por volta de nove horas da matina, a gente desmontou tudo, e remontou no apê ao lado. Eles foram embora às onze, e eu ainda fiquei mais umas duas horas arrumando tudo. No fim das contas, ficou assim, minha nova casa:



Minha sala! Agora com cômoda, e tudo o mais.


Nova cozinha: menor, porém mais aconchegante.


Banheiro em tons azulados.


O armário, agora no quarto.


Minha cama (ela é muito importante).


Minhas guitarras, meu violão, meus amplificadores e outros apetrechos (musicais).


E essa é a nova vista da janela da minha sala. Tem verde ali!!!


Balanço Geral:

É, foi um bom fim-de-semana. Muitas novidades, e agora mais responsabilidades. O lado bom é que estou mais feliz. O lado ruim? Não existe. Pela primeira vez em meses, não existe. Vejam meu fotolog, para maiores informações.

Nenhum comentário: